Em reunião do conselho técnico entre a Federação Paulista de Futebol (FPF) e os clubes do Paulistão, a entidade comunicou que regulamento específico da competição – que será retomada no dia 22 de julho - será mantido, com adequações às datas das partidas, de registro e inscrição de atletas. Foi definido que a data-limite para o registro de jogadores será 20 de julho e a inscrição para competição, 21 de julho. Contudo, não poderão inscritos atletas que já disputaram a competição por outras equipes.

“A Ponte Preta mantém a posição que demonstrou durante o período de paralisação, ou seja, que aguardaríamos a retomada do Paulista para jogar com afinco e vencermos os dois jogos que faltam, saindo da posição incômoda em que nos encontramos. Todo o foco e esforço está nisso: o time sabe da responsabilidade que tem e vamos lutar com todas forças para vencermos Novorizontino e Mirassol e quem sabe até nos classificar à próxima fase”, disse o presidente Sebastião Arcanjo, o Tiãozinho.

Jogadores
De acordo com a adequação no regulamento, no caso da Ponte Preta poderiam ser inscritos apenas os atacantes Osman e Moisés (este último chegará a Campinas apenas em 20 de julho). Além deles, a princípio o elenco disponível para os dois jogos restantes da primeira fase seria o mesmo de antes da parada, com exceção de Roger (o camisa nove tem dois jogos de suspensão a cumprir em virtude de cartão). Além disso, o zagueiro Alison também tem um jogo de suspensão para cumprir.

Local indefinido
Tiãozinho ressalta que ainda não estão definidas as datas de cada partida e, mais que isso, os próprios locais onde elas ocorrerão.

“Em princípio aguardaremos a proximidade do jogo para ver se a cidade-sede pode receber ou não o jogo em virtude da fase da pandemia em que se encontra. No caso de Campinas, que está hoje na vermelha, caso isso não mude a partida contra o Novorizontino não ocorrerá aqui”, afirma.

Quando a situação ocorrer em qualquer cidade de mando, explica o presidente, a entidade oferecerá opções para os dois times envolvidos em cada partida e a própria FPF assumirá custos de deslocamento e outros.  “Contudo, ainda haverá novas conversas sobre este tema”, ressalta.

Por Redação Esporte Jundiaí