A Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional prorrogou a suspensão dos atos de cobrança da dívida ativa com a União até 31 de julho, devido ao estado de pandemia causado pelo novo Coronavírus, declarado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). A medida ajuda o Paulista Futebol Clube. A decisão também beneficia 25 clubes das Séries A e B do Brasileiro que possuem passivos tributários e previdenciários na União.

Inicialmente, o ato, publicado em março, teria validade até junho, só que com a manutenção do cenário econômico, a adequação da data foi necessária.

O Paulista deve R$ 15.256.088,99, segundo apresentados no aplicativo Dívida Aberta, da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, não incluem débitos parcelados ou que, por alguma ação, estão bloqueados.

Dentre os clubes, o Cruzeiro lidera o ranking de equipes devedoras. A Raposa acumula o montante de R$ 290.476.820 em débitos na União. Consequentemente, é o líder neste quesito na Segunda Divisão Nacional. Seguido por Guarani de Campinas (R$ 151.485.011) e Náutico (R$ 79.608.748).

O Vasco possuía até março o maior débito da Série A, na época com R$ 87 milhões. Mas desde então, terminou sendo ultrapassado por Corinthians e Sport. O Timão saltou de R$ 32 milhões para R$ 148.653.859 e agora lidera a elite. Logo atrás, aparecem Sport (R$ 63.314.855) e então, o Vasco (R$ 53.209.915).

Em detalhas a dívida do Paulista com a União, segundo o Aplicativo Dívida Aberta
Demais débitos - Tributários - R$ 6.510.525,85
Previdenciária - R$ 7.018.878,76
Multa Trabalhista - R$ 69.765,79
FGTS - R$ 1.656.918,59
Valor total devido - R$ 15256088,99
Fonte: Aplicativo Dívida Aberta

Por Thiago Batista /// Foto: Divulgação