Na sessão ordinária da Câmara de Jundiaí desta terça-feira (30), foi aprovado por unanimidade o projeto de lei de autoria conjunta do Presidente da Câmara, Faouaz Taha, e do vereador Antonio Carlos Albino, que estipula a multa de 10 unidades fiscais do município (UFMs) em caso de soltura de pipa fora dos locais determinados pela legislação, e de 20 UFMs em caso de utilização de cerol ou linha cortante. Todos os 18 vereadores que poderiam votar aprovaram o projeto.

O presidente da Câmara subiu à tribuna para explicar a importância da punição severa quando da utilização de linhas cortantes, que representam um risco às pessoas. Já Antonio Carlos Albino ressaltou a necessidade de uma fiscalização mais intensa nos estabelecimentos que comercializam esse tipo de material. Agora a matéria segue para sanção do prefeito de Jundiaí, Luiz Fernando Machado.

Pipa é esporte
O leitor do Esporte Jundiaí pode perguntar se soltar pipa é esporte ou não. E podemos dizer que sim, é esporte. No país existe até uma associação esportiva. – Associação da Pipa Esportiva do Brasil (APEB).

Segundo a APEB, o seu principal lema é transformar a pipa em um esporte de combate, regularizar a linha esportiva e gradativamente, através de ações pontuais e exemplos positivos, transformar a imagem do atleta da pipa.

Um projeto de lei no estado do Amazonas queria tornar a pipa uma modalidade esportiva e com proteções aos seus atletas. Caso o estado do Amazonas aprove o projeto, o “jogador” deverá soltar pipa em local aberto, distante de redes elétricas e de telefonia. Além, claro, de não invadir propriedades e não usar cerol nas linhas.

Por Thiago Batista /// Foto: Divulgação