Após fazer quatro mudanças na formação titular do São Paulo e vencer o Sport por 1 a 0 na Ilha do Retiro, o treinador Fernando Diniz – campeão da Copa Paulista de 2010 pelo Paulista, explicou o que pretendia com a formação que mandou a campo e também alfinetou o empresário Wagner Ribeiro, que faz parte do estafe de Igor Gomes, um dos atletas que perderam a posição.

No sábado, Wagner Ribeiro fez uma postagem em seu Instagram criticando o técnico do Tricolor por "coloca o pulmão do time (Igor Gomes) para jogar de ponta e de costas", "colocar o lateral da Seleção Brasileira e ex-Barcelona de meia", "perder o pulso" e "trabalhar o São Paulo como se fosse o Audax".

“O Igor não tem nada a ver com seu empresário, tenho certeza que faço mais pelo Igor que o seu empresário, certeza absoluta”, disse Diniz.

Sobre as mudanças, as que mais chamaram a atenção foram na defesa: Arboleda e Bruno Alves, antes consolidados e elogiados na equipe, foram substituídos pelo jovem Diego Costa e pelo lateral-esquerdo Léo, que atuou improvisado. Gabriel Sara e Luciano ganharam as vagas de Liziero e de Igor Gomes.

“Achei que o Diego estava merecendo uma oportunidade, jogou bem contra o Guarani, vinha bem nos treinos. E o Léo é forte, muito rápido, tem uma saída que favorece o jeito que a gente joga. Achei os dois muito bem, o sistema defensivo muito bem. O Sport teve uma bola na trave oriunda de uma saída errada do nosso time. Mas o sistema defensivo não foi bem pelas mudanças, Bruno Alves e Arboleda teriam ido bem. Mudei porque achei que o time teria mais fluidez na saída”, explicou.

O São Paulo agora recebe o Athletico-PR, às 19h de quarta-feira, no Morumbi, em jogo adiantado da 11ª rodada.

Por Redação Esporte Jundiaí
Foto: Divulgação