A Secretaria de Esportes do Estado de São Paulo nesta quinta-feira (20), através do Centro de Contingência ao Covid-19 analisou e aprovou o protocolo conjunto elaborado pela Federação Paulista de Basketball,  Federação Paulista de Volleyball,  Federação Paulista de Futsal e Federação Paulista de Handebol, para o retorno das quatro modalidades.

 

Com a aprovação, as quatro modalidades – basquetebol, voleibol, futsal e handebol – estão autorizadas a reiniciar seus treinamentos e competições, em municípios que estejam na fase amarela do Plano São Paulo (caso da região jundiaiense), seguindo rigorosamente os protocolos apresentados.

 

“Estamos muito felizes e satisfeitos com a aprovação do nosso protocolo. Mostra a importância do trabalho conjunto das federações para a retomada e volta do esporte no Estado de São Paulo. O primeiro passo já foi dado e as equipes dos municípios que estão na fase amarela já podem voltar a treinar. Um grande passo dado”, destacou Enyo Correia, presidente da FPB.

 

O protocolo de orientações e sugestões para o retorno à prática do das modalidades coletivas de quadra, foi elaborado pela Disciplina de Medicina Esportiva da UNIFESP, tendo como responsável Carlos Vicente Andreoli, com participação de Paulo Roberto Szeles, Sanna Pinheiro, Cristina Casagrande e Murilo Souza.

 

Pontos principais do protocolo

- Submeter todos os ambientes do estabelecimento a um intenso processo de desinfecção prévia, especialmente cozinhas, se houver, banheiros, áreas de acesso público e de serviço, seguindo as indicações das autoridades sanitárias e dos profissionais pertinentes.

- Todos os funcionários que apresentarem sintoma de síndrome gripal (febre, mesmo que relatada, tosse ou dor de garganta ou coriza ou dificuldade respiratória) serão considerados suspeitos de portarem

 covid-19, devendo ser testados (PCR-RT) antes da reabertura dos estabelecimentos, só podendo retornar às atividades após 15 dias do primeiro sintoma, caso todos os sintomas tenham findado, ou caso esteja munido do resultado negativo

- Funcionários pertencentes ao grupo de risco, por terem idade acima de 60 anos ou outras comorbidades, deverão trabalhar em regime de teletrabalho, ou, assumindo o risco de retomar as atividades presencialmente, deverão receber especial atenção e cuidados do estabelecimento, nunca sendo expostos a serviços que envolvam contato, grande proximidade com atletas, usuários e outros colaboradores

- Manter procedimentos de check-in: como termômetro digital de aproximação; tapete de higienização de solado de calçados; recipientes de álcool gel; e borrifador com solução para higienização de roupas e utensílios que serão trazidos para dentro do recinto de jogo

- Atletas, comissão técnica e colaboradores: realizar testes de covid-19 antes do reinício das atividades

- Em caso de teste RT-PCR ou sorológico teste negativo: o indivíduo deve estar no mínimo a 72 horas sem quaisquer sintomas ou sinais de doença.

- Em caso de teste RT-PCR ou sorológico teste positivo: deve cumprir 14 dias de isolamento domiciliar, a contar da data do início dos sintomas, e testar novamente após este período.

- Caso qualquer quadro viral, esperar no mínimo 14 dias após o início dos sintomas e realizar novo teste.

- Realizados testes periódicos

- Observar o aparecimento de sintomas de infecção respiratória

- Aferir a temperatura duas vezes ao dia e observar a presença de febre

- Observar o aparecimento de sintomas menos comuns

- Evitar contato próximo com as pessoas, manter uma distância de pelo menos 2 metros, principalmente com pessoas que contenham os sintomas de febre, tosse ou espirros.

 

Jogos

Os jogos, inicialmente, devem ser realizados, numa primeira fase

com portas fechadas, sem público

- Jogadores sentados em cadeiras intercaladas e/ou separadas, com espaço de 1 metro

- Staff, de acompanhamento das equipes nos dias de jogo, restrinjam-se ao indispensável para a realização do mesmo (técnico e auxiliar

técnico).

- Em número maior que duas pessoas na comissão técnica, os excedentes deverão sentar-se em banco do lado oposto do banco de reservas, respeitando o distanciamento social

 

- Restringir nas delegações o mínimo necessário, sugerindo conterem somente pessoas sem nenhum tipo de comorbidades clinicas

- Suspensão do cumprimento físico entre jogadores/staff e outros elementos

 

Utilização de máscara

- Atleta: em todo o trajeto, menos na quadra

- Comissão técnica: técnico e comissão técnica com máscara durante as atividades

- Funcionários: máscara e/ou face shield (conforme determinação do clube local)

 

Vestiário

- Cada jogador deve cuidar do seu uniforme, levar o uniforme para casa.

- Tomar banho em casa

- Banheiro: utilize preferencialmente para a higiene pessoal, de forma individual

- Jogos: seguir a determinação da federação sobre a metragem mínima – segundo orientação da prefeitura local.

 

Por Thiago Batista