Por Thiago Olim - Foto: Divulgação

 

Como jogador de futebol, Felipe Conceição foi conhecido como Felipe Tigrão, até por ser artilheiro em alguns clubes que passou (nem sempre). No Paulista ele jogou apenas duas vezes numa passagem pouco a se lembrar em 2010 (21 minutos no total em campo). Como treinador, está em começo de carreira, e apesar do título recente de campeão do Troféu do Interior, ainda não merece o apelido de “Tigrão”. E na Série A do Brasileiro seu trabalho como comandante de um time foi mais para ganhar a alcunha de “tigrinho”. E nesta segunda-feira (31) ele ganhou o bilhete azul, a carta de demissão.

 

O Bragantino demitiu o técnico Felipe Conceição na manhã desta segunda-feira (31). Após um desempenho razoável no Campeonato Paulista onde caiu nas quartas de final e levou como consolação o Troféu do Interior, o Massa Bruta não conseguiu repetir o desempenho no Brasileirão. O auxiliar Marcinho comanda as atividades do Massa Bruta enquanto o novo comandante não é anunciado.

 

A atuação do Bragantino no duelo contra o Fortaleza foi muito criticada. Para o jogo, Felipe Conceição sacou os atletas mais experientes do grupo e colocou jogadores jovens. O resultado foi uma derrota para equipe de Rogério Ceni por 3 a 0.

 

Felipe Conceição chegou ao Bragantino no final de janeiro. Com boas atuações no Paulista, ele levou o Bragantino à liderança geral do torneio. No entanto, após a eliminação para o Corinthians nas quartas de final, o treinador começou a fazer diversas alterações a cada jogo, colocando os mais experientes do elenco no banco e dando chance aos mais jovens.

 

No Campeonato Brasileiro, os resultados não vieram, e as boas atuações do Paulistão não se repetiram. Em 18 jogos pelo Massa Bruta, Felipe Conceição soma nove vitórias, quatro empates e cinco derrotas, um aproveitamento de 57%.