Quando retornar a Série A3 do Paulistão, em 19 ou 20 de setembro, o Olímpia contra o Paulista irá estrear o sexto treinador diferente na temporada.  Zé Humberto que comandou o clube na rodada de 13 e 15 de março não está mais no clube e o novo comandante da comissão técnica será Ednei Fernandes, de 48 anos, integrante da empresa CFA - Centro de Formação de Atletas, de Porto Ferreira, que tem contrato de parceria com o clube olimpiense.

 

Zé Humberto comandou o time em apenas uma partida: na derrota para o líder Noroeste por 3 a 1, em 15 de março, em Olímpia.

 

A ordem dos treinadores no Olímpia na temporada está sendo a seguinte:

- Começou a pré-temporada em dezembro do ano passado com Paulo Mulle, que entregou o cargo poucos dias depois sem estrear em jogos oficiais alegando motivos pessoais

- Mario Tilico assumiu o clube na pré-temporada de dezembro e deixou a agremiação após um mês e também não estreou em jogos oficiais no comando do time

- Alexandre Ferreira assumiu o clube em janeiro ainda durante a pré-temporada e deixou o cargo que foi demitido durante o intervalo da partida do Galo Azul com o Primavera, pela oitava rodada da A3

- O quarto treinador foi Leandro Chibior e comandou apenas um jogo pelo clube, a vitória contra o Grêmio Osasco, por 3 a 1, na última rodada. Pelas redes sociais, o Olímpia informou que o técnico não concordou com a programação semanal de treinamento estabelecida e acabou pedindo demissão do cargo, alegando "interferências externas".

- Zé Humberto chegou em 10 de março no Olímpia e comandou o time apenas na derrota para o Noroeste por 3 a 1, em 15 de março. Por conta da pandemia, o time decidiu dispensar o profissional

- No lugar de Zé Humberto chega Ednei Fernandes, que se torna o sexto treinador do time para temporada 2020 (os treinos de dezembro de 2019 eram visando a temporada 2020)

 

O atual presidente do clube Marco Antônio Caliente explicou ao Jornal Folha da Região de Olímpia que com a internação do diretor executivo Antônio Delomodarme (acometido com a Covid-19), que era o responsável direto pelo departamento profissional e ainda quem conseguia receitas para o clube, está sendo necessário implantar mudanças para se enquadrar na nova realidade.

 

Segundo o presidente disse ao jornal será necessário conseguir dinheiro para pagar despesas básicas do clube, como cozinheiras, médico nos jogos e viagens (hotéis e alimentação). “Precisamos de ajuda, pois os compromissos estão vencendo e não temos dinheiro”, enfa­tizou o presidente.

 

Por Thiago Olim