Os últimos anos não vêm sendo nadas fáceis para o ex-número 1 no ranking do tênis brasileiro, Rogério Dutra Silva, o Rogerinho. Após um 2019 conturbado, o atleta campeão por Jundiaí dos Jogos Regionais em 2009, se preparava este ano para retornar ao circuito em 2020, quando a pandemia atingiu o mundo. A pausa forçada pelo coronavírus fez o paulista de 36 anos repensar o foco de sua carreira e optar por algo que ele jamais se imaginou fazendo: focar nos torneios de duplas.

 

“Eu sempre falei que não iria pra esse caminho das duplas. Depois de um tempo parado e com um nível muito alto [em simples], eu acho que pra tentar competir em um nível bom, as duplas são, entre aspas, um caminho mais curto e acessível”, comentou Rogerinho em entrevista ao site Olimpíada Todo Dia.

 

“Até pela minha idade também, não posso mentir, estou com 36 anos [risos]. Busco uma longevidade. Nas simples, o desgaste é muito maior. E também pela minha curiosidade. Porque eu nunca foquei 100% nas duplas,” explicou.

 

Rogerinho ainda não definiu um parceiro, muito em função de não poder escolher a essa altura, já que não compete há muito tempo. Atualmente, ele ocupa a 703ª colocação no ranking de duplas da ATP

 

Ainda sem poder competir pela situação da pandemia no Brasil e no mundo, Rogerinho segue treinando individualmente em Santa Bárbara d’Oeste, cidade do interior de São Paulo onde reside. “Quero fazer uma mini pré-temporada em algum lugar. Se puder ir para a Argentina, eu vou para a Argentina. Quero voltar devagarzinho, pra recuperar o ritmo e não ter nenhuma lesão. Estou há muito tempo sem jogar tênis,” contou na entrevista ao Olímpiada Todo Dia.

 

Por Redação Esporte Jundiaí

Foto: Divulgação