Por Thiago Olim - Foto: Divulgação

 

Ex-comandante do Paulista, o técnico Fernando Diniz, do São Paulo, fez uma avaliação do seu primeiro ano de trabalho, completado no último sábado com empate por 1 a 1 diante do Internacional, no Beira-Rio.

 

Na parte negativa, Diniz, ex-comandante do Paulista, citou as derrotas para Binacional, na altitude do Peru, pela Libertadores, e a eliminação para o Mirassol nas quartas de final d Paulistão.

 

“Vou considerar quatro meses de paralisação por covid. Não é um ano contínuo. Isso fez toda diferença. Tinha um time até a pandemia. Hoje temos outro time. É outra maneira de jogar, embora pareça a mesma. Vou começar pelo aspecto negativo. Temos duas derrotas que pesam muito, de maneira justa. A do Binacional na Libertadores, um jogo que tivemos todas chances de ganhar, um resultado que hoje nos pressiona muito. E principalmente o jogo do Mirassol, um jogo muito atípico, no qual o time finalizou 24 vezes, o adversário finalizou quatro e tomamos três gols dentro de casa. Frustrou nosso torcedor, instituição, eu e jogadores”, disse Diniz.

 

“Temos de saber e responder em campo com resultados positivos. O time está batalhando para encontrar vitórias, acredito que vão acontecer na sequência do campeonato, acredito que vamos conseguir melhorar equipe como estamos melhorando”, completou.

 

Diniz citou o trabalho com jogadores da base. “Promovemos muitos jogadores. O Primeiro deles foi o Antony, quando cheguei estava umas cinco partidas no banco e em descredito com torcedor. Saiu por um valor bastante considerável (para o Ajax) que consegue hoje pagar contas do clube (o São Paulo pagou pendências atrasadas com o dinheiro da venda). Igor Gomes é um jogador que se firmou, tem Diego jogando, (Gabriel) Sara se firmando, Brenner se recuperando”, disse.

 

“Isso faz parte de um trabalho de profundidade, de conseguir melhorar jogadores, é um aspecto muito positivo que acontece hoje no São Paulo. São jogadores identificados com o clube. A melhora do Hernanes, jogador que nos ajuda, Leo deslocado outra posição, ganhando mais espaço e conhecendo mais a posição e se tornando jogador de ponta. Esses aspectos positivos são bons salientar nessa hora”, completou