PUBLICIDADE

Ferreirão no Galo participou de campanha de título e levou desacreditado Etti a final em 2000

PUBLICIDADE



Por Thiago Olim - Foto: Divulgação

 

Luiz Carlos Ferreira na sua história como treinador em Jundiaí pode ser considerado um vencedor. Nas suas três passagens – a primeira entre 2000 e 2001, uma curta em 2003, e a última entre 2008 e 2009, comandou o Tricolor com bastante sucesso e sendo quase campeão uma vez, e na outra iniciando a campanha que terminou em taça. O técnico faleceu neste domingo (13), aos 71 anos.

 

Em 2000, Ferreirão chegou ao então Etti Jundiaí na 10ª rodada da primeira fase da Série A2. O Galo estava com dificuldades de classificação, e ele veio para substituir Wilson Coimbra, após uma derrota fora de casa por 3 a 2 para o São José. A estreia foi pé-quente: vitória por 1 a 0 para o América.

 

Em seguida foram dois empates (Olímpia e Francana) e uma derrota (Ituano) e a classificação parecia se complicar. Nas duas últimas rodadas, vitórias sobre Sãocarlense (2 a 0) e Rio Preto (5 a 1) levaram o Tricolor para as quartas de final.

 

Nas quartas de final, o adversário foi o São José, e o Etti venceu duas vezes por 2 a 0. Na semifinal o adversário era o Santo André. Na 1ª partida, em casa, o Galo venceu por 1 a 0, gol de Jean Carlos. No 2º jogo, no ABC, o Tricolor perdia por 1 a 0 até os 44 minutos do segundo tempo, quando Jean Elias, se transformou em herói do dia, para marcar o gol da classificação.

 

Na decisão, o Etti encarou o São Caetano. Naquele ano, apenas o campeão conquistava o acesso. No 1º jogo, em Jundiaí, a vitória foi do Azulão por 1 a 0, com gol de Túlio (em completo impedimento). Na partida da volta, empate sem gols, e o vice-campeonato para Ferreirão.

 

No ano seguinte, na mesma Série A2, Ferreirão iniciou o trabalho. Somente ficou quatro rodadas: derrotas para Araçatuba (2 a 1) e Santo André (1 a 0) e empates com vitória nos pênaltis contra Mirassol (2 a 2, com 3 a 2 nas penalidades) e Juventus (1 a 1, com 3 a 1 nas penalidades) decretaram fim do trabalho de Ferreirão, que havia ficado marcado no fim de 2000, com uma derrota doída, em casa, para o Malutrom por 2 a 1, pela terceira fase do Módulo Verde e Branco da Copa João Havelange.

 

Giba assumiu o comando do Paulista na sequência e o time jogou muito bem nas 26 rodadas subsequentes, para conquistar o acesso e ser campeão na última rodada, com uma vitória em casa, por 2 a 1 sobre a Paraguaçuense. Curiosamente, oito anos depois, Ferreirão após deixar o comando do Paulista foi substituído por Giba (este falecido em 2014).

Ferreirão no Galo participou de campanha de título e levou desacreditado Etti a final em 2000 Ferreirão no Galo participou de campanha de título e levou desacreditado Etti a final em 2000 Reviewed by Thiago Batista de Olim on 13:00 Rating: 5

Últimas - Confira!!!

PUBLICIDADE