Por Thiago Olim - Foto: Thiago Olim

 

Se nada mudar, os jogos da Série A3 até o seu final não devem receber presença de público. Se na tabela de pontuação, o Paulista não está nada bem, onde corre risco real de rebaixamento, na tabela de público presente, a torcida do Galo estaria é brigando pelo acesso. O Tricolor nas 11 rodadas disputadas, com apenas cinco jogos disputados no Jayme Cintra, e com público foi o terceiro que mais levou torcedores aos estádios da competição.

 

Com média de 812 torcedores por partida, a torcida jundiaiense somente fica atrás de Comercial com 1.046 de média e o Noroeste com incríveis 3.480 torcedores pagantes de média por jogo.

 

Média

Clube        de público

Noroeste     3.480

Comercial    1.046

Paulista     812

Rio Preto    548

Batatais     504

Linense     497

Barretos     402

Velo Clube   368

Olímpia     351

Marília     316

D. Brasil    301

Primavera    290

Nacional     272

S. Bernardo  263

G. Osasco    119

Capivariano  87

 

Na renda bruta, o Galo terminou na terceira colocação neste quesito, onde arrecadou nos cinco jogos como mandante com R$ 10.888. Os melhores foram Noroeste (R$ 64.540,83) e Comercial (R$ 18.275,83).

 

Na renda líquida, que é a renda bruta, subtraindo os gastos que a equipe mandante tem com o borderô, o Paulista também é o terceiro. Nos cinco jogos em casa, o Tricolor obteve R$ 6.823,67, somente ficando atrás de Comercial (R$ 9.012,30) e o Noroeste (R$ 53.211,80).

 

Possível volta aos estádios

Segundo matéria do Ge.Globo da última quinta-feira, a CBF enviou para o Governo Federal estudo com proposta de retorno do público aos estádios de futebol. Nesta semana, chegou às mãos do general Eduardo Pazuello, que foi empossado como novo Ministro da Saúde depois de quatro meses como interino na pasta, documento sobre o retorno gradual dos torcedores em jogos de futebol, o que está proibido desde o início da pandemia de Covid-19.

 

A proposta engloba diretrizes iniciais que seriam com estádio liberado para até 30% da capacidade de público e sem torcida visitante, apenas com o público do mandante. A proposta que o Ministério da Saúde analisa não trata de data específica, mas a estimativa é em meados de outubro. O Ministério da Saúde não deu prazo de resposta e segundo a matéria o presidente Jair Bolsonaro é entusiasta da ideia.