Por Thiago Olim

 

Em matéria divulgada no Esporte Espetacular da TV Globo e também no seu site Ge.Globo (ambos fazem parte do Grupo Globo) foi revelado dentro da reportagem sobre a suposta manipulação de jogos da Série A3 por conta da máfia de apostas, que a partida Paulista 2 x 3 Olímpia, pela 12ª rodada, disputada no dia 19 de setembro, no Jayme Cintra, está sob investigação pelo Drade (Delegacia de Repressão aos Delitos de Intolerância Esportiva).

 

Segundo a reportagem, as suspeitas sobre esse jogo, como também Barretos 0 x 4 Linense aumentaram com relatórios produzidos pela empresa SportRadar, parceira da Federação Paulista de Futebol, que faz o monitoramento de sites de apostas e identifica padrões incomuns, geralmente relacionados a fraudes em partidas de futebol.

 

Segundo a reportagem, os relatórios de ambos os jogos apontam: "É clara e notória evidência observada nos mercados de apostas indicando que o curso ou resultado desta partida foi indevidamente influenciado visando a obtenção de lucros ilícitos com apostas esportivas".

 

Segundo o documento demonstrado pelo Ge.Globo, apostadores tinham a informação de que o Barretos seria derrotado por ao menos quatro gols – o jogo acabou 4 a 0 para o Linense. Em Paulista e Olímpia a fraude era mais complexa: o Paulista venceria o primeiro tempo (foi para o intervalo com vitória parcial de 2 a 1), mas perderia a partida (o Olímpia virou na segunda etapa para 3 a 2).

 

O monitoramento da SportRadar é mais completo com relação ao jogo Galo versus Olímpia no Jayme Cintra. A empresa relata que foram feitas apostas somadas de 19,102 mil euros (aproximadamente R$ 123 mil) nesse jogo. Contra a lógica, conforme descreve a companhia, 62% de todo esse valor foi apostado na opção em que o Paulista venceria o primeiro tempo, e o Olímpia o confronto. A empresa monitorou 93 apostas, que somavam 10,8 mil euros (quase R$ 70 mil), todas elas cravando a vitória do time de Jundiaí no primeiro tempo – nenhuma no Olímpia. Entre os apostadores identificados, ao menos um já tinha sido marcado pela empresa por apostas irregulares.

 

“Finalmente, nenhum fator esportivo pré-jogo pode influenciar tanto os apostadores em nenhum desses resultados específicos, visto que qualquer fator esportivo regular impactaria tanto o primeiro tempo quanto o resultado de jogo completo de forma semelhante, e nunca poderia sugerir que o Paulista FC venceria apenas a primeira parte, enquanto o Olímpia FC acabaria por vencer a partida. No geral, é bastante claro que os apostadores tinham conhecimento prévio do resultado final tanto do primeiro tempo quanto da partida, e aproveitaram vários mercados de apostas para maximizar os lucros em apostas ilícitas”, conclui o relatório.

 

No dia 20 de setembro, o Esporte Jundiaí monitorou três sites de apostas esportivas, pois nas redes sociais este jogo ainda durante a tarde daquele dia, enquanto a bola rolava no Jayme Cintra era “tachado” como suspeito. De todos os sites, o site Bet 365 havia retirado a partida da sua lista, muito provavelmente por conta da movimentação estranha que ocorria para apostas no jogo (confira print de imagem retirada no dia 19 de setembro às 15h54 – quando o jogo estava 2 a 1 para o Paulista e estava no seu intervalo). Em outros sites, o jogo continuou constando.



A Polícia Civil instaurou inquéritos separados para investigar cada uma das partidas. O TJD (Tribunal de Justiça Desportiva) de São Paulo também iniciou um procedimento interno para eventuais punições esportivas. A Federação acompanha os casos através de sua Comissão de Integridade.

 

Ao Ge.Globo, Rodrigo Alves, presidente do Paulista, afirmou que desconhecer "qualquer tipo de situação", e defendeu a apuração das denúncias. Marco Antônio Caliente, presidente em exercício do Olímpia, disse que a diretoria foi "pega de surpresa e também defendeu as investigações.

 

Caso de aliciamento

Na tarde de sexta-feira (25), estourou o caso revelado em primeira mão pela Rádio Difusora 810 AM de Jundiaí e depois repercutido pelo Esporte Jundiai, que um jogador do Paulista foi aliciado a entregar o resultado da partida do Tricolor contra o Desportivo Brasil. Só que o atleta do Galo gravou todas as conversas – seja por áudio ou aplicativos de mensagens.

 

Ele lavrou um boletim de ocorrência no 4º Distrito Policial de Jundiaí no final da manhã de sexta-feira (25) comunicando sobre o fato, e acabou não disputando a partida. O jogo terminou com vitória para o Paulista por 3 a 2, em Porto Feliz, e este confronto não está na lista de suspeitas, como nenhum até o momento da 13ª rodada.