Por Thiago Olim

 

A partida entre Barretos e Marília, que ocorreu neste sábado, no estádio Fortaleza, em Barretos, terminou com vitória maqueana por 2 a 0, com dois jogadores a mais durante a partida. O confronto teve diversos acontecimentos antes e depois do jogo relatos pelo árbitro Alysson Fernandes Matias. Até sobrou para infraestrutura do campo.

 

O jogo terminou com sete cartões amarelos para o Barretos e dois para o Marília. Ainda ocorreram três expulsões, todas do Barretos e de forma direta.

 

- Danilo Brayan, camisa 11 do Barretos, aos 5min do 2º tempo (ele já tinha amarelo, mas recebeu o vermelho direto)

Motivo segundo o árbitro: “Expulso por haver colocado o braço na bola, impedindo um gol da equipe adversária”

 

- Bismarck Vargas, camisa 15 do Barretos, aos 12min do 2º tempo (ele já tinha amarelo, mas recebeu também o vermelho direto)

Motivo segundo o árbitro: “Expulso por haver, após ser advertido com o cartão amarelo por reclamação, o mesmo proferiu as seguintes palavras em tom alto e gesticulando os braços: " Filma essa p.... aí, c....... Estão nos roubando, p...... Vai tomar no seuc., juiz, está fazendo uma b.... de arbitragem, c....."”

 

- José Viriato Neto, treinador do Barretos, aos 37min do 2º tempo (ele já tinha amarelo, mas recebeu também o vermelho direto)

Motivo segundo o árbitro: “Expulso por haver, após informação do árbitro assistente de n. 01, sr. Fausto Augusto Viana Moretti, que o referido técnico proferiu as seguintes palavras ao atleta adversário de n. 04, sr. Moises Lucas da Silva Evangelista: 'Moises, o que que você está me olhando, vai tomar no c., você tem que se f...., quer apitar a p.... do jogo, c......' Após o término da partida, o referido treinador veio do túnel do seu vestiário e proferiu as seguintes palavras: "Seus filhos das p...., seus bandos de safado, vamos pegar vocês lá na salinha, hoje vocês não saem daqui, seus safados, pilantras."”

-> O Esporte Jundiaí retirou todos os palavrões citados em sumula, para boa educação do seu leitor

 

Só que os relatos do jogo não ficaram apenas para as expulsões e sim para acontecimentos antes e depois do jogo, que foram três:

- Segundo o árbitro, quando ele e sua equipe chegaram no vestiário da arbitragem, esteve Alex Morete de Castro, que se identificou como diretor do Barretos Esporte Clube, para retirar as bolas enviadas a equipe do Barretos e aproveitou a oportunidade para dizer as seguintes palavras: "Professor, sei que a partida é importante para todos, mas muito mais importante para nós. Tivemos problemas de arbitragem nas duas últimas partidas onde fomos prejudicados, inclusive mandamos reclamação na Federação, e não queríamos ver isso hoje. Não vim com o intuito de fazer você nos beneficiar, mais as coisas estão complicadas, tanto extra como dentro de campo. Por favor, não me interprete mal, mas queremos que você veja essa partida diferente."

 

- O jogo ainda teve problemas com a rede dos gols. Segundo o árbitro, a meta onde estava próxima o assistente número 1, Fausto Augusto Viana Moretti, tinha um rasgo grande onde a bola poderia transpassa la. O 4º árbitro Cesar Luiz de Oliveira informou o problema para Alex Morete da necessidade do conserto dessa rede, que disse que arrumaria o problema. Quando toda equipe de arbitragem subiu para o campo de jogo novamente, verificou que a rede não havia sido consertada como solicitado e, por isso, houve atraso para o início da partida em três minutos

 

- Por último, após a partida o árbitro relatou que no vestiário da arbitragem não tinha água para eles todos tomarem banho e que o local estava muito sujo. Também foram informados que o vestiário da equipe visitante, no caso usado pelo Marília, não continha água para banho dos atletas, informado pelo delegado da partida, Victor Andre Rodriguez Ballesteros.