Por Redação Esporte Jundiaí

 

Daniel Alves completou no último domingo a nona partida consecutiva pelo São Paulo desde que operou o braço direito e novamente não se sobressaiu. O desempenho fez o técnico Fernando Diniz (ex-Paulista) sair em defesa do camisa 10 nesta segunda-feira (26).

 

“(Ele) É a nossa maior referência. Ele entrega muitas coisas, no campo daria pra ver também, mas a gente enxerga mais as coisas superficiais, quando erra um passe ou acerta. Tem taxa de trabalho sempre grande, corre o tempo todo, sempre bate recorde no GPS. Coloca todo mundo para cima, tem frieza para decidir, espírito de luta invejável. É um grande privilégio ter o Daniel”, disse Diniz.

 

O jogador foi titular diante do Fortaleza, no Morumbi, no domingo, em duelo pelas oitavas de final da Copa do Brasil, duelo que foi decidido nos pênaltis –vitória paulistana por 10 a 9, após empate por 2 a 2 no tempo normal.

 

Daniel Alves chegou a errar 13 passes, segundo maior número de erros do time e algo bastante incomum para ele, com histórico de títulos em Barcelona, Juventus e Paris Saint-Germain. Os erros favoreceram contra golpes do Fortaleza. Daniel Alves também mostrou pouca produtividade no ataque e aumentou seu jejum particular. Dono da camisa 10 do time, ele não marca gols a 17 partidas e não dá uma assistência para os companheiros marcarem a 34 jogos.