Por Thiago Olim - Foto: Divulgação

 

O segundo jogo de Vagner Mancini no comando do Corinthians não foi satisfatório. Além da derrota de 5 a 1, para o Flamengo, o técnico conseguiu a marca de estar à frente da equipe na maior goleada sofrida dentro da Neo Química Arena. Em entrevista coletiva, após o fim da partida, o treinador analisou o momento vivenciado pelo clube.

 

Sobre a má fase vivenciada pelo Corinthians, que em 17 jogos do Campeonato Brasileiro tem quatro vitórias, seis empates e sete derrotas, Mancini analisou o que está acontecendo ao ponto do time tomar cinco gols em casa.

 

“A culpa é de todo mundo. Eu não me isento da culpa. Eu já faço parte do processo, mas seria injusto jogar nas minhas costas porque a situação já não estava boa. Temos que analisar de forma fria. Todo mundo tem sua parcela de responsabilidade. A partir do momento que todo mundo assume, você já sai de algum ponto. É óbvio que todos nós estamos chateados em função do desempenho da equipe. Nós, que vivemos do futebol, você espera o jogo pra comprovar o seu valor a cada dia. Essa frase que circula de que tem que se matar um leão por dia é verdadeira, porque todos os dias a gente tem que provar nosso valor”, afirmou,

 

“Eu, quando aceitei o convite, sabia que a situação era difícil, agora a gente não pode fugir das nossas responsabilidades e eu estou aqui admitindo e aceitando muita coisa e outras não. A partir do momento que dividimos a responsabilidade e também a partir do momento que reconhece a sua fragilidade em muitas coisas, você começa a se preparar pra dar um passo à frente. Hoje a gente sai da partida muito consciente daquilo que está acontecendo. O Corinthians tem sua cara e tem de voltar a jogar dessa forma. Não pode dar possibilidades diante de qualquer adversário, ainda mais com os ajustes que tinha hoje, ao longo dos 90 minutos. É importante que a gente entenda o jogo e isso não volte a acontecer”, complementou.

 

Anunciado na última segunda-feira (12), Mancini afirmou que o futebol apresentado pelo Timão foi muito abaixo do esperado. “É o meu sexto dia no clube, não estou me isentando de nada, mas tem muito trabalho ainda a ser feito. A gente encontrou uma equipe de uma forma muito ajustada, um time que tem a bola, que joga, que tem velocidade, força física e acabamos fazendo dois tempos distintos. Até tivemos alguns ganhos em termos de estatísticas, mas que não representaram dentro da partida...É óbvio que estamos chateados”, disse.

 

“Enfrentamos o time campeão brasileiro e da Libertadores do ano passado, então merecia um cuidado especial e o Corinthians ficou muito abaixo. Em alguns momentos competiu, mas na maior parte do jogo não foi competitivo como a gente quer que seja. Quando você enfrenta uma equipe dessas e não é competitivo, não consegue igualar com as deficiências que tem. Dava pra marcar mais, ser mais competitivo pra igualar essa distância que todos entendem que existe tecnicamente, taticamente e emocionalmente”, completou.

 

O próximo jogo do Timão será contra o Vasco no dia 21, às 21h30 (horário de Brasília). Os dois times têm o mesmo número de pontos na tabela do Campeonato Brasileiro: 18 para cada. A diferença é que o clube carioca está na 13ª posição, com cinco vitórias, e o paulista na 14ª, com quatro.