Por Thiago Olim - Foto: Divulgação

 

Sebastião Lourenço foi um goleiro que fez muito sucesso no futebol do interior de São Paulo. Morando em Jundiaí desde 1978, e se diz quase um jundiaiense. E ele tem orgulho de um lance: não de ter sofrido um gol de Pelé, como muitos arqueiros gostam de dizer, mas sim de ter feito uma grande defesa: pegou um pênalti do eterno 10 do futebol brasileiro.

 

Em 1971, Lourenço defendia o São Bento de Sorocaba, e no Paulistão daquele ano, em 12 de maio, enfrentou o Santos na Vila Belmiro. E parou Pelé.

 

“Era muito difícil jogar contra o Santos. Naquela época, se você não estivesse em um dia inspirado, levava um caminhão de gols. Ouvi Pelé fazer oito contra o Comercial. O "QI" daquele jogador era grandiosíssimo"”, descreveu o ex-goleiro, em entrevista ao Jornal Cruzeiro do Sul de Sorocaba, em 28 de março de 2015.

 



O camisa 10 sofreu uma penalidade aos 38 minutos do primeiro tempo. Ele mesmo cobrou, fazendo cavadinha, mas Lourenço pulou no canto certo e fez a defesa. “Ele enganava a gente com isso, pois alternava o estilo da cobrança: às vezes chutava forte, às vezes chutava com paradinha. Quando eu dei a bola a ele, e ele foi até fora da grande área, pensei que ia mandar uma bomba. Ele correu e deu a primeira parada. “Naquele momento ele não estava mais para chutar forte. Pude perceber que iria colocar. E mandou no meu lado esquerdo, no chão, para dificultar, pois sou destro”, disse na mesma entrevista ao Cruzeiro do Sul.

 

Só que o jogo terminou em derrota do São Bento por 1 a 0. Apesar do revés, Lourenço foi eleito o melhor jogador em campo e recebeu os cumprimentos de Pelé pela sua atuação.

 

A bola do jogo, que Lourenço guarda até hoje como o símbolo de uma carreira de quase 20 anos, sendo 11 deles no São Bento, exibe o autógrafo do Rei do Futebol. "Quando o jogo acabou, todo mundo queria a bola, mas trouxe ela para casa. Pedi para que Pelé autografasse, e tenho um carinho todo especial por ela porque é uma das lembranças mais lindas da minha vida, assim como as fotos e os prêmios", conta Lourenço, que vestiu a camisa do Tricolor de Jundiaí na sua carreira.

 

Na sua longa carreira, Pelé perdeu surpreendentes 18 pênaltis pelo Santos. Isso sem contar duas cobranças que o camisa 10 errou, mas foram anuladas pelo juiz.