Série B1 do Paulistão mantém característica de trampolim para jovens - Esporte Jundiaí

Propagandas

Série B1 do Paulistão mantém característica de trampolim para jovens



Por Redação Esporte Jundiaí - Foto: Thiago Olim

 

Último nível do futebol paulista, a Série B1 do Paulistão tem em sua história a presença de diversos atletas que posteriormente ganharam projeção no futebol brasileiro. A edição de 2020 contará com 35 equipes, que servem de casa para os jovens atletas mostrarem o seu talento para conseguirem escalar a pirâmide do futebol nacional.

 

Campeão pelo Paulista, o meia Gabriel Terra se transferiu para a Portuguesa Santista. Um ano após a conquista, ele está no elenco do Juventude, que também está na Série B nacional. Além dele, o time campeão chamou a atenção com o lateral Victor Emerson e o zagueiro João Paulo. Ambos se transferiram ao Fortaleza, integrando o elenco sub-23 do time que disputa a elite brasileira.

 

Em 2019, o grande nome do torneio foi o atacante Murilo Henrique, do Fernandópolis. Após passagem pela base do São Paulo, onde sofreu com lesões, retornou à sua cidade natal e se destacou com 15 gols na campanha da equipe. Este ano disputou o Paulistão pelo Botafogo de Ribeirão Preto, por quem também joga na Série B do Campeonato Brasileiro.

 

O vice-artilheiro da última edição, Mayko Felix, também é outro que impulsionou a carreira após o torneio. Com 14 gols pelo Amparo, o atleta se destacou e este ano veste a camisa do Santa Cruz de Recife na Série C do Campeonato Brasileiro.

 

Outros atletas que chamaram a atenção foram Adriano Mina (saiu da Francana e jogou o Paulistão pelo Novorizontino) e Luan Costa (do São José, foi campeão da Série A2 pelo São Caetano)

Postar um comentário

0 Comentários