Por Thiago Olim

 

Segundo matéria no portal do Jornal Folha de São Paulo na quarta-feira, ainda não tem data o julgamento sobre os casos de manipulação de apostas na Série A3 do Paulistão, em dois jogos da 12ª rodada: Barretos 0 x 4 Linense, Paulista 2 x 3 Olímpia. Barretos, Paulista e Olímpia estão sendo os times investigados sobre os casos.

 

Paralelamente às sanções administrativas aplicadas pela Federação Paulista de Futebol (FPF) aos três clubes que não podem participar de competições promovidas pela entidade, a Polícia Civil investiga se houve infração ao estatuto do torcedor e crimes de estelionato e associação criminosa.

 

O delegado César Saad, da Delegacia de Repressão aos Delitos de Intolerância Esportiva (Drade), que conduz o inquérito desde setembro, ouviu na última semana os depoimentos de atletas, membros de comissões técnicas, dirigentes e empresários.

 

William Pereira Rogatto, que se identificou para os atletas como empresário de futebol, é suspeito de aliciamento no caso e teve seu telefone celular recolhido para perícia. O delegado aguarda autorização judicial para examinar o conteúdo do aparelho. Em depoimento à polícia, ele negou participação no esquema.

 

Na quarta-feira a Folha de São Paulo trouxe detalhes sobre o relatório promovido pela empresa tem contrato com a FPF para monitorar o que ocorre nesses sites durante partidas das competições estaduais no jogo Barretos 0 x 4 Linense.

 

O placar da goleada obtida pelo Linense foi construído com dois gols de pênalti e um contra, anotado no último minuto. De acordo com relatório elaborado pela Sportradar, o saldo de gols elástico já era esperado por apostadores.

 

O relatório, que também foi entregue para a Drade, diz que depois que a bola rolou em Barretos começaram a surgir apostas de que o time da casa seria derrotado por uma diferença mínima de quatro gols, o que contrariava as probabilidades iniciais.

 

Com base nas movimentações do site malaio Nova88, a Sportradar observou que o volume de apostas para derrota do Barretos por dois ou três gols cresceu logo nos primeiros minutos da partida, sem que houvesse uma razão aparente para isso.

 

Com o relatório, o TJD-SP (Tribunal de Justiça Desportiva) decretou o afastamento do goleiro Pedro, dos atacantes Fabrício e Derik (ambos cometeram pênalti) e dos defensores Roberth (autor do gol contra) e Edson Rocha, todos do Barretos. Este último não é citado por participação em nenhum lance, mas, segundo a empresa, é suspeito de reincidir, já que teria participado de duas partidas em 2017 pela União Barbarense sob suspeitas de manipulação.

 

A vitória do Olímpia sobre o Paulista por 3 a 2, pela mesma competição, também chamou a atenção e está sob apuração. O presidente do Barretos, Julio Eduardo Addad, reclama do comportamento da federação e do TJD-SP no caso. Ele afirma que o clube foi suspenso sem nenhuma prova e que teve grande dificuldade para ter acesso aos autos do processo.