Vagner Mancini (ex-comandante do Paulista) utilizou, ao todo, cinco volantes durante a partida deste sábado, contra o Atlético-GO. Nenhum deles foi Cantillo. O técnico do Corinthians, então, explicou o motivo de não ter colocado o colombiano em campo durante a entrevista coletiva em Goiás.

“Hoje eu até tinha a possibilidade de ter entrado com Cantillo, que me daria o jogo limpo, aberto, mas sebrecarregaria um pouco pela formação da equipe. Optei com a entrada de mais um volante de marcação (Gabriel), isso tornou a equipe pesada no sentido de criação de jogadas. Foi um ponto importante, mas um Corinthians distante do que achamos ideal”.

Sobre o confronto contra o clube que comandou em boa parte no 1º turno do Brasileirão, Mancini disse que procurou passar o máximo que conhecia. “O tempo foi muito escasso, foi na base de conversa, vídeo e pouca coisa dentro do campo. A partir do momento que entendemos como seria o jogo, fui passando o que eu conhecia de Atlético, nesse ponto teve até uma certa vantagem, mas do outro lado tinha atletas que sabem como eu penso, acho que o Corinthians entendeu o jogo na segunda etapa, sofreu no primeiro tempo”, disse.

“Ainda longe do ideal, mas tem também o psicológico, uma eliminação após um erro bisonho do árbitro, ou seja, um trabalho não só dentro de campo, mas de conversa também para todo mundo render o que a gente espera”, completou.


Por Thiago Batista de Olim - Foto: Divulgação