Se esperava um jogo com bastante dificuldade em Montevidéu para a seleção brasileira. Só que quando se tem um goleiro “frangueiro” do outro lado as coisas facilitam. Goleiro “frangueiro” não precisa tomar embaixo das pernas, mas ser pesado e lento na tentativa de defender. Por isso no futebol ganha apelido de “frangueiro”. Exemplo de Campaña nesta terça-feira, que falhou nos dois gols do Brasil, na vitória da equipe de Tite por 2 a 0, pela quarta rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo.

No primeiro gol, aos 30 minutos de jogo, ele pulou atrasado na bola, chutada por Artur de fora da área, que desviou em Gimenéz, antes de entrar. Apesar do desvio, havia chance de Campaña fazer a defesa.

Só que o pior ocorreu aos 45 minutos do primeiro tempo. Numa jogada ensaiada de escanteio do Brasil, Richarlison na marca do pênalti mandou de cabeça e Campaña pulou muito atrasado na bola, facilitando demais as coisas para o Brasil. Isso que a seleção fez uma exibição burocrática no primeiro tempo. O mesmo ocorreu no segundo tempo, em um jogo que deixou a desejar. Ainda mais depois da expulsão de Cavani, por entrada violenta em Richarlison.

Com isso, o Brasil fecha o ano de 2020 com 100% de aproveitamento: quatro jogos, quatro vitórias, 12 pontos nas Eliminatórias, e com um pé já encaminhado para a Copa do Mundo de 2022.


Por Thiago Batista de Olim - Foto: Divulgação