Uma decisão apoiada pela Advocacia Geral da União (AGU), que defende os interesses do governo do presidente Jair Bolsonaro, pode limitar ainda mais o acesso dos torcedores aos jogos de futebol, especialmente os que forem disputados entre 19h e 20h em dias de semana (exceto feriados). A AGU anunciou nesta 4ª feira (18 de novembro de 2020) que assegurou junto ao STF (Supremo Tribunal Federal) o retorno do horário fixo para o programa Voz do Brasil, produzida pela EBC (Empresa Brasil de Comunicação). O noticiário voltará a ser veiculado em horário nobre nas rádios brasileiras – das 19h às 20h.

Segundo a AGU, a motivação da veiculação em horário fixo é “para que as informações de interesse público cheguem ao maior número de brasileiros possível.” Só que o futebol pode ser prejudicado.

Jogos são marcados de forma costumeira durante semana com inicio entre 19h e 20h, e assim os torcedores dos times de futebol podem ficar sem qualquer chance de ouvir parte ou integralmente o primeiro tempo. Algumas vezes podem ficar sem ouvir o fim do jogo, caso o começo das partidas seja às 18h. E quem ouve no rádio e que não tem acesso aos confrontos na televisão paga.

Em 2018, foi sancionada a lei que flexibilizou o horário do programa, e a retransmissão obrigatória do programa, que, via de regra, deve ter início entre as 19h e as 21h, no horário de Brasília.

A exceção para retransmissão da A Voz do Brasil é de uma portaria da última terça-feira, que autorizou a flexibilização do horário de retransmissão do programa além dos horários originalmente previstos no caso de emissoras que desejarem transmitir jogos de futebol da seleção brasileira, seja masculina ou feminina, seja adulta ou de base, e que tenham inicio programado entre 19h e 20h30.


Por Thiago Batista de Olim - Foto: Divulgação