A vitória na primeira bateria no último domingo da 11ª etapa da Stock Car fez Guilherme Salas colocar seu nome na pista de Goiânia. Ele se tornou o 27º piloto diferente a vencer no autódromo goiano.

14 pilotos venceram uma vez na pista e além do piloto jundiaiense são eles: Raul Boesel, Luis Alberto Pereira, Affonso Giaffone, Carlos Alves, Xandy Negrão, Ricardo Maurício, Néstor Girolami, Marcos Gomes, Galid Osman, Diego Nunes, Max Wilson, Gabriel Casagrande e Allam Khodair.

Marcos Gracia, Alencar Júnior, Daniel Serra, Átila Abreu, Felipe Fraga e Ricardo Zonta venceram por duas oportunidades. Zeca Giaffone, Ângelo Giombelli e Thiago Camilo estiveram no lugar mais alto do pódio por três vezes.

Rubens Barrichelo já venceu em Goiânia por cinco oportunidades. Chico Serra levou seis vezes a prova. O segundo maior vencedor é Paulão Gomes com sete. O maior ganhador na pista de Goiânia é Ingo Hoffmann, com 12 vitórias.


As contas para o título

Em Interlagos, na Super Final, a vitória valerá 60 pontos. Neste momento, as equipes já fazem as contas para ver quais são suas reais chances de chegar ao título. Com o regulamento determinando que sejam descontados os três piores resultados de cada pilotos, a pontuação válida para a conta de chegada do campeonato tem Thiago Camilo com 238 pontos, seguido por Daniel Serra (237), Ricardo Maurício (231), Ricardo Zonta (226), Gabriel Casagrande (224), Rubens Barrichello (224), Cesar Ramos (203), Allam Khodair (195), Guilherme Salas (190), Diego Nunes (185) e Nelson Piquet Jr. (180), todos com chances matemáticas de serem campeões.

Os resultados em Goiânia também significam que as equipes da Toyota vão lançar mão do primeiro dos dois pacotes de equalização que cada marca tem direito durante o ano, toda vez que a rival abre 30 pontos de vantagem. A Chevrolet já utilizou ambos e é justamente isso, além do trabalho de desenvolvimento realizado pelas equipes, que justifica o bom desempenho dos Cruze em Goiânia. O ranking das marcas tem a Chevrolet somando 762 pontos, contra 717 da Toyota.


Por Thiago Batista de Olim - Foto: Divulgação