Santos e São Paulo disseram adeus nesta quarta-feira a dois torneios importantes que são disputados no sistema eliminatório (playoff). O Santos perdeu do Ceará por 1 a 0, fora de casa, e caiu nas oitavas de final da Copa do Brasil. O São Paulo venceu por Lanús por 4 a 3, em casa, e foi eliminado nas décima-sextas de final da Copa Sul-Americana, pelo gol fora de casa. No placar agregado, o Peixe perdeu a sua série por 1 a 0, enquanto o time do Morumbi empatou por 6 a 6, mas perdeu por 3 a 2 nos gols fora de casa.

 

Ceará 1 x 0 Santos (1 x 0 no agregado)

O Santos teve mais posse de bola durante o jogo (60% a 40%), mas pouco foi eficiente nas finalizações: não acertou nenhum no gol, nos 90 minutos de jogo, nas suas 12 tentativas.

O Ceará teve 13 finalizações dentro da partida, sendo que seis foram ao gol. Uma foi o voleio de Vina, que foi dentro do gol, aos 25 minutos do segundo tempo, garantido o Vozão nas quartas de final.

O time santista não teve o jundiaiense Lucas Veríssimo, suspenso, e teve neste segundo jogo, teve Sandry, expulso, no último lance da partida.

 

São Paulo 4 x 3 Lanús (6 x 6 no agregado, 3 a 2 nos gols fora de casa)

O time de Fernando Diniz precisava vencer por dois gols de diferença para sonhar com a classificação, sem depender dos gols fora de casa. Só que ficou duas vezes atrás do placar – Pedro de la Veja e Aguirre marcaram para os argentinos no primeiro tempo. Daniel Alves, no primeiro tempo, e Pablo, no segundo tempo, marcaram para o time do Morumbi, e deixaram o empate por 2 a 2.

O time de Diniz teve uma reação fantástica no segundo tempo, e abriu 4 a 2 – gols de Nicolás Thaller (contra) e Gabriel Sara – marcado aos 45 minutos do segundo tempo. Este placar classificava o time do Morumbi. Só que aos 49, Orsini, fez o terceiro do time argentino, que conquistou a sua classificação, por ter anotado mais gols como visitante na eliminatória.

O São Paulo, de Diniz (ex-treinador do Paulista), teve 75% de posse de bola, contra 25% dos argentinos, e teve 20 finalizações dentro do jogo. Só que poucas foram ao alvo – quatro, sendo seis dentro da ‘caixinha’. Os argentinos das 8 finalizações, quatro foram para o alvo, marcando três gols, mostrando eficiência e assim conquistando a classificação.

 

Por Thiago Batista de Olim