Na madrugada desta segunda-feira (21), o Bahia postou em seu Twitter o afastamento do jogador Indio Ramírez, acusado de racismo pelo Gerson do Flamengo, durante a vitória do rubro-negro por 4 a 3, no Maracanã, em jogo da 26ª rodada do Campeonato Brasileiro. A nota ainda afirma que o presidente do clube, Guilherme Bellintani ligou para Gerson a fim de prestar solidariedade por tudo que ocorreu.

“O Esporte Clube Bahia vem a público se manifestar sobre a denúncia de racismo feita pelo atleta Gerson, do Flamengo, ocorrida na noite deste domingo (20). O atleta Indio Ramírez nega veementemente a acusação e a ele está sendo dada a oportunidade de se defender de algo tão grave. O clube entende, porém, que é indispensável, imprescindível e fundamental que a voz da vítima seja preponderante em casos desta natureza. Assim, decidiu afastar imediatamente o jogador das atividades da equipe até a conclusão da apuração. O presidente Guilherme Bellintani ligou para Gerson a fim de prestar solidariedade”, descreveu o clube na nota.

Após o jogo, Gerspn deu um depoimento forte, acusando o colombiano Índio Ramírez, da equipe adversária, de uma ofensa racista. O camisa 8 também cobrou respeito do técnico adversário, Mano Menezes, que, segundo ele, teria minimizado o incidente.

“O Ramírez, quando a gente tomou o segundo gol, não me lembro, reclamou do Bruno [Henrique]. E ele falou bem assim para mim: 'Cala a boca, negro'. Isso eu nunca sofri, em toda a minha carreira profissional, e não aceito. Não aceito. E o Mano, o Mano precisa respeitar", desabafou o jogador ao canal Premiere.


Por Thiago Batista de Olim - Foto: Divulgação