Rogério Ceni como se conhece é um cara teimoso e tem suas convicções desde a época como jogador. Como treinador não mudou uma vírgula. Nem mesmo como comandante do Flamengo. Só que ser teimoso muita das vezes pode custa caro para uma agremiação. Nesta terça-feira foi para o Flamengo, que acabou eliminado da Copa Libertadores pelo Racing, com empate por 1 a 1 no tempo regulamentar no Maracanã e 2 a 2 (com 1 a 1 nos gols fora de casa) na série de oitavas de final, muito graças as teimosias e convicções de Ceni, pois o rubro-negro poderia ter vencido de forma direta. Nas penalidades, o Flamengo perdeu por 5 a 3 e está fora.

Ceni foi teimoso de escalar Vitinho como titular, um jogador questionável pela torcida, ainda mais depois de perder um pênalti na eliminação da Copa do Brasil. Teimoso em escalar Bruno Henrique como centroavante, e mostrou que claramente o BH27 não sabe jogar nesta função. E foi convicto em manter Gustavo Henrique na zaga, mesmo que ele venha falhando ainda na época de Jorge Jesus.

E para completar as teimosias de Rogério Ceni, o jogo mostrava que Pedro tinha que entrar antes na partida, devido as diversas finalizações fora do alvo que o Flamengo teve, especialmente no primeiro tempo.

Os 45 minutos iniciais do time carioca foi de um pé torto ao extremo. Das 10 finalizações do time, apenas uma foi ao gol. Ainda foram cinco chutes travados e quatro para fora. Vitinho foi o único do Fla que chutou ao gol. Ele teve ainda duas finalizações bloqueadas e uma quase sem goleiro, mandou pra fora, irritando a torcida virtual. Bruno Henrique finalizou duas vezes para fora na primeira etapa. O zagueiro Gustavo Henrique teve dois chutes bloqueados e uma finalização foi para fora. O Racing também não levou muito perigo. Com apenas 38% de posse de bola e errando 29% dos passes, o time argentino apenas finalizou duas vezes, sendo uma ao gol e um chute travado.

Panorama mudou na metade do segundo tempo no segundo tempo. Antes dos 35 minutos, o Flamengo finalizou seis vezes, mas somente uma vez ao gol. Diferente do Racing, que mostrou ser eficaz: chutou duas vezes, as duas ao gol, e uma dentro do gol. Foi aos 20 minutos do segundo tempo, em jogada ensaiada, que contou com corte errado de Gustavo Henrique, e o lateral Sigali aproveitou para fazer 1 a 0 para os argentinos.

Sem Rodrigo Caio, expulso no lance anterior ao gol, o Flamengo teve que se expor. E Ceni fez de forma arriscada: tirou os seus dois meias armadores: Arrascaeta e Everton Ribeiro. Resultado: festival de chuveirinhos na área e consagrando o goleiro Arias.

Com um a mais, em vez de arriscar e marcar o segundo, o time argentino se acovardou. E o Flamengo conseguiu ser preciso no item mais importante do futebol: a finalização. Chutou duas vezes, ambas gol, e marcou um gol no fim. Aos 48 minutos, Willian Arão, em escanteio batido por Diego, fez de cabeça e empatou o jogo, a série e os gols fora de casa. Com isso a vaga foi definida nos pênaltis. Nas penalidades, Arão perdeu o pênalti e o Racing acertou todas e se classificou. O Flamengo está eliminado da Copa Libertadores de 2020 e não poderá sonhar com o bicampeonato.


Por Thiago Batista de Olim - Foto: Divulgação