Técnico da Argentina na campanha do vice-campeonato mundial em 2014 e campeão da Copa Libertadores de 2009 no comando do Estudiantes de La Plata, Alejandro Sabella morreu nesta terça-feira, aos 66 anos. De acordo com informações, o ex-treinador da Albiceleste foi internado no dia 26 de novembro após sofrer uma arritmia cardíaca. Desde o vice da Copa do Mundo de 2014, Sabella não trabalhava.

Depois de ter uma melhora em seu quadro de saúde, Sabella voltou a piorar no último sábado, especialmente depois de contrair um vírus hospitalar, que teria sido a causa de sua morte.

Sabella trabalhou no Brasil. Ele foi assistente de Daniel Passarella quando este treinou o Corinthians, como também na seleção argentina, seleção uruguaia, Parma, Monterrey e  River Plate.

Na breve passagem na comissão técnica do clube brasileiro, Sabella demonstrou comunicar-se satisfatoriamente em português e possuir conhecimento sobre o futebol brasileiro, revelando sua admiração por Roberto Rivellino.

Sua estreia como treinador ocorreu no Estudiantes em março de 2009, quando substituiu ao demitido Leonardo Astrada. Levou a equipe ao título da Taça Libertadores da América de 2009, vencendo o Cruzeiro na final, e ao Campeonato Argentino (Apertura) de 2010.

Sucedeu a Sergio Batista na Seleção Argentina em 6 de agosto de 2011. Nas eliminatórias da América do Sul para a Copa do Mundo de 2014, classificou a equipe em primeiro lugar. Na fase de grupos da Copa do Mundo de 2014, sua equipe contou com o brilho do craque Lionel Messi e obteve o primeiro lugar do Grupo F com folga.

Alcançou a semifinal contra a Holanda, vencendo-a somente na disputa por pênaltis, após empate de 0 a 0 no tempo normal e na prorrogação.

Na final, porém, a Argentina foi derrotada pela Alemanha por 1 a 0, com gol de Mario Götze na prorrogação. Após a Copa Sabella deixou o cargo, apesar do desejo da AFA para que permanecesse. Desde então não trabalhou mais no futebol.       


Por Thiago Batista de Olim - Foto: Divulgação