Futebol: Suspensão do TJD ao Paulista termina na próxima quinta-feira - Esporte Jundiaí

Propagandas

Futebol: Suspensão do TJD ao Paulista termina na próxima quinta-feira

O Paulista está a poucos dias de estar inteiramente “livre” pode se dizer. A punição imposta pelo Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo (TJD-SP) se encerra na próxima quinta-feira, 4 de fevereiro.

O clube foi julgado em 26 de novembro do ano passado por conta da suspeita da manipulação de resultados na Série A3 do Campeonato Paulista de 2020. A associação jundiaiense foi considerada culpada e suspensa por 120 dais por infringir artigo 239 (deixar de praticar ato de ofício, por interesse pessoal ou para favorecer ou prejudicar outrem ou praticá-lo, para os mesmos fins, com abuso de poder ou excesso de autoridade), além de multa de R$ 25 mil por infringir artigo 191 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (deixar de cumprir o regulamento).

A punição acaba em 4 de fevereiro, pois foi retroativa do momento da suspensão preventiva imposta pela Federação Paulista de Futebol (FPF) em 7 de outubro de 2020. Na ocasião, a agremiação foi suspensa pela FPF de forma preventiva, e impedido de se inscrever em competições estaduais.


Recurso

O Paulista entrou com recurso em dezembro sobre a punição. O TJD deverá colocar o recurso em pauta ainda no mês de fevereiro. “Não foi pedido efeito suspensivo exatamente por essa razão da suspensão terminar em fevereiro e não afetar o clube em competições que não seriam realizadas. Se pedimos o efeito suspensivo e o pleno ratifica decisão de primeira instância teríamos que cumprir mais para frente e poderíamos ser prejudicados mais à frente”, explica Marco Zuffo, diretor jurídico e de futebol do Paulista.

O Paulista espera que ocorra a absolvição seja pelo pleno do TJD ou até mesmo no STJD, que é a última instância da justiça desportiva. “Queremos absolvição pela injustiça com o clube. Se perdermos no Pleno e a tendencia é essa no meu entendimento, vou recursar para o STJD que entendo que teremos grandes chances de absolvição, pois é um tribunal mais técnico e como inexistem provas nos autos sobre alguma ilicitude do clube acredito que possamos reverter esse julgamento e não deixar que um fato desses manche nossa história”, afirma Zuffo.

No entendimento de Zuffo por se tratar de uma conversa com os clubes da Série B1 do Paulistão e não de um arbitral oficial (como a própria matéria da Federação Paulista informa) na próxima terça-feira, diretores do Paulista podem representar a agremiação e participar juntamente com os outros times interessados em jogar a ‘Bezinha’ de 2021.

Postar um comentário

0 Comentários