1º adversário do Paulista na Libertadores não está na 1ª divisão do seu país atualmente - Esporte Jundiaí

Propagandas

1º adversário do Paulista na Libertadores não está na 1ª divisão do seu país atualmente

O primeiro adversário do Paulista na disputa da Copa Libertadores da América no ano de 2006, o El Nacional, do Equador, pode-se dizer que vive a sua pior fase na história, como o Tricolor. Atualmente o clube não está na 1ª divisão do Campeonato Equatoriano.


13 vezes campeão da Série A do Equador e 24 vezes participante da Libertadores, o El Nacional foi rebaixado na última edição do Campeonato Equatoriano. Terminou a liga local na 16ª e última colocação, sofrendo o seu segundo rebaixamento na história. O primeiro descenso ocorreu em 1979, subindo já no ano seguinte. Na temporada 2020, o El Nacional venceu apenas seis de 30 jogos na Liga do Equador, que teve o Barcelona de Guayaquil como campeão.


O primeiro jogo do Paulista na Libertadores

Paulista e El Nacional se enfrentaram pela primeira vez em 14 de fevereiro de 2006 (portanto há 15 anos). O jogo realizado no estádio Olímpico Atahualpa, em Quito terminou 1 a 1. Borja, aos 23 minutos do segundo tempo, abriu o placar para o time equatoriano. 13 minutos depois, Abraão, que havia entrando durante a etapa final, fez o 1º gol do Paulista na história da Libertadores.


Naquele 14 de fevereiro de 2006, o Paulista comandado por Vagner Mancini entrou em campo com a seguinte equipe: Rafael, Lucas (Fábio Vidal), Dema, Réver e Bosco; Amaral, Glaydson, Wilson e Beto; Jean Carlos (Abraão) e Muñoz.


No El Nacional, do técnico Ever Hugo Almeida, atuaram os seguintes jogadores: Ibarra, De Jesús, Castillo, Guagua, Benitez, Erick de Jesús, Quiróz, Borja, Ayoví (Figueroa), Lara e Ordoñez.


Série B do Equador

A 2ª divisão do Campeonato Equatoriano (conhecida por lá como Série B) tem apenas 10 clubes. Os times se enfrentam em quatro turnos (cada confronto terá os dois times jogando duas vezes em cada local), e os dois primeiros conquistam o acesso a Série A do Equador e os dois piores são rebaixados a 3ª divisão.


Na ‘Segundona’ do Equador, o El Nacional terá pela frente o América de Quito, Atlético Porteño, Atlético Santo Domingo, Chacaritas, Cumbayá, Gualaceo, Guayaquil Sport, Indepediente Juniors e o Liga de Portoviejo. A competição começa em 5 de março.


O El Nacional foi o clube das Forças Armadas do país e grande parte do seu "faturamento" mensal foi da contribuição dos mais de 10.000 militares. Mas esse tipo de “ajuda” foi vetada (proibida) nos últimos anos pelas autoridades políticas do país, e o clube perdeu muito da sua força nos últimos anos. Outra questão histórica do clube é a sua visão nacionalista: não contratou nunca um atleta que não fosse equatoriano. Ocorreu uma exceção, quando se descobriu que um atleta do time não era equatoriano e sim colombiano.

Postar um comentário

0 Comentários