Em Jundiaí, jovens apresentam crescimento na contaminação da covid-19 - Esporte Jundiaí

Propagandas

Em Jundiaí, jovens apresentam crescimento na contaminação da covid-19

Em avaliação dos dados de infecção por Sars-CoV2, feito pelo Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus (CEC), da Prefeitura de Jundiaí, a contaminação de adolescentes e jovens anos teve crescimento de 48% no mês de dezembro, em relação ao pico da pandemia registrado em julho. Isso sem atividades esportivas que geram grande aglomeração.


As atividades esportivas de base, especialmente para os adolescentes que fazem parte do Time Jundiaí estão interrompidas desde março do ano passado.


Segundo os dados divulgados pela Prefeitura de Jundiaí o crescimento também se repete entre os mais idosos (70 a 89 anos) com 17% de crescimento no mesmo período. Os números, no mês de janeiro, tiveram retração, no entanto, a intensificação das medidas preventivas é essencial para reduzir a circulação do vírus e, consequentemente, as internações e óbitos.


De acordo com dados avaliados pelo CEC, o mês de dezembro contabilizou 3.578 casos positivos de covid-19, contra 3.539 registrados no mês de julho, tido com o pico da pandemia. A maior quantidade de contaminados permanece entre as idades classificadas como economicamente ativas, ou seja entre 20 a 59 anos, com 2.783 casos em dezembro, contra 2.862 em julho (redução de 2.7%), mas o diferencial do período se dá nos extremos, com maior contaminação entre os jovens e os mais idosos.


O aumento na contaminação foi representativo entre os jovens e adolescentes, que saltaram de 124 casos em julho para 184 em dezembro, o que representa um crescimento de 48%, além dos idosos entre 70 a 99 anos, que aumentaram de 210 para 235, avanço de 11%. O avanço foi sentido nos atendimentos exclusivos aos casos suspeitos de covid-19, com picos de mais de 3 mil pessoas atendidas e testas com o exame RT-PCR em uma semana.


“Os dados mostram a necessidade de os públicos jovens se cuidarem, usar máscaras, não aglomerar e evitar a contaminação dos entes da família que são os mais vulneráveis. Entre os jovens, a cepa circulante em Jundiaí até o momento tem impacto menor, porém, entre os familiares com comorbidades, a doença gera internações que podem se agravar e levar ao óbito”, detalha o gestor da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde Tiago Texera.


Em ambos os meses, foram registrados 62 óbitos por covid-19 (dados até 31/01/2021, uma vez que aguarda as informações de óbitos ocorridos em outros municípios), porém, a faixa etária registrada em 2021 é mais velha, sendo 87% de pessoas acima de 60 anos contra 74% em agosto de 2020. Com relação às comorbidades, não houve alterações.


“A produção das vacinas, em termos mundiais, está avançando. Estamos no aguardo de mais doses para a ampliação da oferta da vacina. A esperança em forma de meio ml está chegando aos poucos. É hora de nos esforçarmos cada vez mais para evitar a contaminação”, ressalta.

Postar um comentário

0 Comentários