Jornalismo esportivo de luto! Morre Paulo Stein, vítima de complicações da covid-19 - Esporte Jundiaí

Propagandas

Jornalismo esportivo de luto! Morre Paulo Stein, vítima de complicações da covid-19

Foto: Divulgação

Morreu neste sábado, aos 73 anos, o jornalista Paulo Stein, por complicações do novo coronavírus. Um nome histórico da locução esportiva brasileira, especialmente da sua passagem pela Rede Manchete entre os anos 80 e 90. Também sua voz era bastante conhecida pelas brilhantes narrações dos desfiles de escolas de samba na Marquês de Sapucaí.


Segundo o jornal o Globo,na última quarta-feira, Stein recorreu ao Hospital Rocha Maia, em Botafogo, onde foi diagnosticado com síndrome respiratória e transferido para o Hospital Estadual Anchieta, Zona Portuário do Rio. Stein deixa mulher Vivianem, e a filha, a jornalista Natasha Stein.


Biografia

Paulo Stein começou a trabalhar no Jornal dos Sports em 1968, onde ficou até 1969. Foi repórter e pauteiro do O Estado de São Paulo de 1969 a 1978. No rádio trabalhou na Tupi de 1971 a 1976 e na Nacional de 1976 a 1981. Foi colunista do jornal O Fluminense entre 1978 e 1981. Além disso, escreveu para as revistas Manchete, Fatos & Fotos, Manchete Esportiva e Placar. Foi professor de telejornalismo e radialismo. Deu aulas na Faculdade Pinheiro Guimarães de 1993 a 1996.


Só que sua carreira como jornalista, especialmente no esporte e Carnaval, foi brilhante na telinha., Na televisão, foi diretor de esportes, apresentador do programa Bola na Mesa e narrador da TV Bandeirantes Rio de Janeiro de 1977 a 1982.


Em 1983, o grande pulo dele. Foi para a Rede Manchete onde foi diretor de esportes e, além da cobertura esportiva, se consagrou também nas transmissões de carnaval, que na emissora narrou de 1984 a 1998. Foi o primeiro locutor que transmitiu do Sambódromo Carioca e também do de Manaus. Narrou o carnaval de São Paulo por vários anos e o de Salvador, em 1993. Na Manchete também narrou finais de Campeonato Brasileiro e Campeonato Carioca.


Em 1996, Stein foi para a Record, mas voltou em 1998 para a Manchete, onde também participou da cobertura da Copa do Mundo de 1998. Paulo Stein esteve na Manchete até 1999, quando a emissora faliu.


Em 2001, passou a integrar a equipe da TVE Brasil onde apresentou o EsporTVisão. Entre 2008 e 2010, passou a integrar a equipe da ESPN Brasil atuando como apresentador do programa Bate-Bola 2ª Edição, na sede carioca da Emissora. Em 2011, passa a integrar a equipe do SporTV e Premiere, do quais saiu em 2019.


Em 2009, depois de 11 anos fora das transmissões do carnaval carioca, comandou a transmissão do desfile para a Liga das Escolas de Samba do Grupo de Acesso, na CNT.


Foto: Divulgação


Postar um comentário

0 Comentários