Thiago Batista: Currículo de Ricardo Chuva é melhor de Fio (quando este chegou ao Galo) - Esporte Jundiaí

Propagandas

Thiago Batista: Currículo de Ricardo Chuva é melhor de Fio (quando este chegou ao Galo)

Alguns torcedores comentaram comigo uma certa preocupação com Ricardo Chuva, acreditando que ele não tem um currículo adequado para dirigir o Paulista na ‘Bezinha’ deste ano. Na minha opinião pessoal, acredito que o clube acertou na escolha do profissional para comandar o time. O currículo dele é melhor na sua chegada ao clube, de quando Fio começou a sua trajetória no Paulista. E no fim, Edson Fio deu muito certo na B1 em Jundiaí (depois a A3 fui um desastre seu trabalho). Chuva pode fazer um trabalho que pode no fim encher um balde de água com o acesso, porque não?

 

Edson Fio chegou ao Paulista em março de 2019. Antes dirigiu as categorias sub-20 e profissional do Rio Branco entre 2016 e 2018. O seu aproveitamento era abaixo da média somando Copa Paulista, Série A3 e Paulistão sub-20. Em 32 jogos, foram 96 pontos disputados, e somente conquistou 34 - 10 vitórias, 4 empates e 18 derrotas, o que representam 35,41% de aproveitamento.


Edson Fio dirigiu o Rio Branco no Paulistão sub-20 da 1ª divisão em 2016, e enfrentou duas vezes o Galo: 1 a 0 para o Tigre, em Jundiaí, quando o Tricolor ainda era comandado por Honorio Rufino, o Netinho; 2 a 1 para o Tricolor, em Americana, quando o time jundiaiense já era dirigido por Umberto Louzer.


Ricardo Chuva já tem números melhores, inclusive contra o Paulista. Contando as passagens do sub-17 e profissional do Amparo entre 2016 e 2020, foram 94 jogos. Ricardo Chuva obteve 37 vitórias, 32 empates e 25 derrotas. O aproveitamento é de 50,70% dos pontos disputados.


Chuva contra o Paulista tem números bons. Em 2017 enfrentou o Galo duas vezes no Estadual sub-17. Obteve uma vitória e um empate. Em 2019 foram quatro confrontos na 4ª divisão do Estadual. Foram três derrotas e uma vitória. No geral, na soma sub-17 e profissional do Chuva contra o Tricolor, são duas vitórias, um empate e três derrotas – ou seja um certo equilíbrio.  


O rendimento de Ricardo Chuva é 15% superior ao de Fio na carreira de treinador entre base e profissional, em competições da Federação Paulista, antes da chegada dos dois profissionais ao time principal do Galo. É muita coisa!


O que se espera é que Ricardo Chuva tenha o mesmo desempenho de Edson Fio no time profissional do Paulista na Bezinha. Pois Edson ‘virou literalmente o Fio’, para terminar a temporada 2019 com 72,22% dos pontos disputados (65 pontos ganhos de 90 possíveis).


Ricardo Chuva conhece o Paulista. Conhece o clube. E quase foi vencedor. No Tricolor mesmo, como auxiliar de Umberto Louzer, em jogos oficiais pela Federação Paulista de Futebol não soube o sabor amargo da derrota. Somente não esteve na final da Copinha por causa de um Gato.


Que desta vez, o torcedor de Jundiaí espera que não tenha um Gato para atrapalhar. Nem um Fio, que será concorrente – comandará o América de Rio Preto. Que seja uma chuva. Uma chuva de gols e de vitórias sobre os concorrentes.

Postar um comentário

0 Comentários