Paraguaio: presente no acesso de 2011 e no vice de 2014 pela Ponte Preta da Agapeama - Esporte Jundiaí

Propagandas

Paraguaio: presente no acesso de 2011 e no vice de 2014 pela Ponte Preta da Agapeama

Paraguaio é um dos jogadores mais queridos da história da Ponte Preta da Agapeama. Na hora mais difícil do clube, que foi disputar a Série B do Campeonato Amador ele estava lá com a sua garra e suor buscando ajudar a Macaca a conquistar o acesso. Quando o time ascendeu de divisão, ele brilhou em uma partida decisiva.

Na temporada 2011, Paraguaio estava no elenco da Série B da Ponte Preta da Apapeama, que tinha comando de Dentinho e Berró. O acesso foi conquistado de maneira dura, em 25 de setembro, com empate contra o Grêmio Medeiros por 1 a 1. Na oportunidade, Paraguaio marcou 14 gols naquela edição da Série B, que a Ponte terminou vice-campeã.

E naquele ano ele venceu uma batalha pessoal, como contou na época ao Esporte Jundiaí. Ele superou um tumor no pé – que quase o tirou dos gramados. Não o tirou, e fez reunir forças para ser um goleador na competição de dez anos atrás.

“Somente voltei a jogar, pela Ponte Preta, pela família que este grupo é. Estou ainda totalmente fora de forma”, confidenciou o jogador, nascido em Jundiaí. “Foi uma vitória minha, pois voltei a jogar. Quando operei em 2009, os médicos me falaram que eu deveria procurar outro esporte que não fosse praticado com o pé, como a natação”, lembrou na conversa publicada pelo Esporte Jundiaí em 25 de setembro de 2011.

Com passagens nas categorias de base do Guarani, Ricardo Geovane, ganhou o apelido de Paraguaio devido a sua semelhança na batida na bola com Francisco Arce, que jogou por Palmeiras e Grêmio no futebol brasileiro.

Três anos depois, Paraguaio estava novamente no elenco da Ponte Preta e novamente participou de uma decisão pela Macaca. E novamente mostrou o faro de gol.

Com Abner Junior no comando da Ponte Preta em 2014, Paraguaio era uma figura constante no banco de reservas e no primeiro jogo da final contra o Grêmio Marlene, ele entrou no decorrer da partida, que estava 0 a 0. Mas ele precisou de dois minutos para brilhar. Aproveitando rebote do goleiro adversário para marcar o primeiro jogo da decisão.

Mesmo com a Ponte perdendo o segundo jogo da final por 2 a 0, e ficando com vice-campeonato, Paraguaio está para sempre na história da Ponte Preta da Agapeama.


Foto: Thiago Batista / Esporte Jundiaí

Postar um comentário

0 Comentários