Censura? Conmebol suspende Marcelo Moreno e ainda aplica multa por ele criticar a entidade - Esporte Jundiaí

Propagandas

Censura? Conmebol suspende Marcelo Moreno e ainda aplica multa por ele criticar a entidade

No Brasil você pode até criticar o presidente Jair Bolsonaro que não sofre nenhuma sanção grave (como prisão por exemplo). Idem nos EUA, você pode criticar o presidente Joe Biden que não sofre nenhuma sanção de gravidade extrema. Existe liberdade de expressão. Algo que a Conmebol não conhece. Criticar a Conmebol é algo grave (se bobear até mais que uma falta em um jogo ou um ato de racismo).  No futebol sul-americano existe censura, sim. Que o diga, Marcelo Moreno. O atacante boliviano, com nacionalidade brasileira, foi multado em 20 mil dólares (cerca de R$ 100mil) e foi suspenso por uma partida por conta de um post nas suas redes sociais (a crítica nem foi em um jogo) sobre a Conmebol e a organização da Copa América.

No começo da semana, Marcelo Moreno escreveu o seguinte nas suas redes sociais: “Obrigado, Conmebol. A culpa é totalmente de vocês. Se morre uma pessoa, o que vocês vão fazer? O que importa é só o dinheiro, a vida do jogador não vale?”. Para Conmebol isso é uma ofensa muito grave e o suspendeu por um jogo e aplicou a multa.

Na quinta-feira, o atacante Marcelo Moreno, da seleção da Bolívia, confirmou estar infectado com Covid-19 e recuou, pedindo desculpas pela declaração. Ele afirmou que as críticas não partiram dele, mas sim de seu staff, e colocou em dúvida seu retorno a tempo de atuar na competição. “O que foi expressado na publicação da minha conta no Instagram não foi uma declaração textual que dei pessoalmente, razão pela qual não foi minha intenção gerar polêmica, ofender ou questionar, a Confederação Sul-Americana de Futebol, nem suas autoridades”, disse o atacante.

Moreno está isolado em um hotel em Goiânia, cumprindo a quarentena e o período de isolamento. Enquanto isso, a Bolívia já está em Cuiabá para o jogo contra o Chile, na próxima sexta, às 18h (de Brasília), na Arena Pantanal.

Postar um comentário

0 Comentários