Não realização da Copa América não deixa ninguém desempregado. A ‘Bezinha’ sim - Esporte Jundiaí Não realização da Copa América não deixa ninguém desempregado. A ‘Bezinha’ sim

Vamos ser bastante diretos neste texto, com perguntas logo abaixo:

- Alguém ficará desempregado se não ocorrer a Copa América de futebol? Não.

- Alguém ficará desempregado se não ocorrer a ‘Bezinha’, a Série B1 do Paulistão? Sim.

Se você responder as duas perguntas de forma diferente não entende nada de esporte, de humanidade, e ainda por cima é sacana. Pois jogador nenhum recebe salário para defender seleção. No máximo recebe ‘diária’ e premiação – seja por objetivo na seleção, seja por seus patrocinadores individuais ou dos seus clubes. Nenhum jogador é empregado da CBF. Esse é o principal ponto. Apenas a comissão técnica da seleção é empregada da CBF. Talvez fossem os únicos que correriam algum risco de ficarem desempregados – e sejamos sinceros, estes conseguem emprego fácil, se a CBF os demitisse se não ocorresse a Copa América.

Outro ponto, jogador de seleção tem o seu ‘emprego’, que é o seu clube, que paga o seu salário religiosamente e ainda não tem o atleta – tem que ‘emprestar’ de graça a CBF ou a associação nacional. E detalhe: clubes que pagam ótimos salários para estes jogadores.

Agora a não realização da ‘Bezinha’ vai deixar um monte de jogadores desempregados. E não são atletas que ganham grandes salários. A grande maioria sequer recebe dois salários mínimos. Além de componentes de comissão técnica sem emprego.

Por estes motivos, apesar de não achar interessante, arriscado ter futebol de clubes durante a pandemia, se for ter ESCOLHA, sou 101% ter futebol de clubes neste período pandêmico e 0% ter futebol de seleções. Não deveria sequer ter agora Eliminatórias para Copa do Mundo, Copa América, Eurocopa, Copa Ouro da Concacaf, Liga das Nações de seleções da Europa e amistosos de seleção. Até mesmo o torneio olímpico de futebol poderia não ocorrer. Não vai deixar nenhum atleta desempregado.

Se tiver que ter sacrifício, a escolha tem que ser o futebol de clubes, para não deixar jogadores desempregados. Agora a CBF, Conmebol e Governo Federal com uma rapidez impressionante confirmaram uma Copa América no Brasil, poderiam ter a mesma rapidez em ajudar os clubes e a desenvolver um calendário e abrirem possibilidades para jogadores neste período pandêmico, terem um calendário melhor, e não jogar no máximo 3 meses como será a ‘Bezinha’.

Copa América as atenções para jogadores que não irão ficar desempregados e que não irão ganhar praticamente nada por disputar esse torneio CBF, Conmebol e Governo Federal tiveram uma rápida atenção. Mas que tal observarem a base da pirâmide, onde está 90% dos jogadores e colocar um calendário descente, com chances de emprego para atletas da ‘Bezinha’, e até mesmo das Séries A2 e A3 do Paulistão que jogaram neste 1º semestre e agora correm risco de ficarem seis meses parados por absoluta falta de oportunidades.

Que tal o Governo Federal como mediador (e não fiador) procurar ajudar estes atletas – tem disponibilidade? Que tal a CBF como fiadora (e também mediadora), como também a Conmebol, procurar ajudar estes atletas – tem disponibilidade?

Por isso, a Copa América não deveria sequer ser disputada. Minha opinião é bem clara: Copa América em 2021: NÃO!


Thiago Batista é jornalista e editor-responsável pelo Esporte Jundiaí. Trabalha desde 2006 na área, com passagens no Lance (Caderno do Interior – cobrindo o Paulista), Agência Bom Dia, Jornal da Cidade e Jornal de Jundiaí, Rádio Cidade Jundiaí, Rádio Difusora Jundiaí, TV Japi e TVE Jundiaí.