Brasil é o 13º país que mais conquistou medalhas nestes Jogos Olímpicos de Tóquio - Esporte Jundiaí Brasil é o 13º país que mais conquistou medalhas nestes Jogos Olímpicos de Tóquio

Com as duas medalhas conquistadas pelo Brasil nesta quinta-feira, com a prata de Rebeca Andrade no individual geral na ginástica artística feminina e Mayra Aguiar no meio-pesado no judô feminino, o país é o 13º que mais conquistou medalhas nestes Jogos Olímpicos, após sete dias de disputas.

Com sete medalhas conquistadas, sendo um ouro, três pratas e três bronzes, o Brasil no total de medalhas conquistadas está na frente de países como mais estrutura esportiva – caso da Suíça – 14º e Espanha – 23º.

No total de medalhas, a liderança é dos EUA com 38, seguido por China com 31, Rússia com 28, Japão com 25 e Austrália com 20.


As medalhas do dia do Brasil

A primeira medalha do dia foi da gaúcha Mayra Aguiar. E ela conquistou feito inédito na manhã desta quinta-feira (29) após conquistar medalha de bronze na categoria meio-pesado (até 78kg) do judô na Olimpíada Tóquio. A judoca se tornou a primeira mulher a conquistar três medalhas olímpicas em um esporte individual. Ela já havia levado o bronze nos Jogos de Londres (2012) e na Rio 2016.

A sexta medalha do Brasil veio com a vitória de Mayra contra a sul-coreana Hyunji Yoon na disputa do bronze, que foi imobilizada por 20 segundos no Nippon Budokan, templo das artes marciais na capital japonesa.

Na estreia, Mayra Aguiar venceu a israelense Inbar Lanir por ippon aos 40 segundos de combate. Em seguida, nas quartas de final, ela perdeu para a alemã Anna-Maria Wagner após sofrer um wazari. Na repescagem, a judoca de 29 anos (faz 30 em 3 de agosto) derrotou Aleksandra Babintseva, da Rússia, em luta que foi definida com a adversária tomando três penalidades (Shido), enquanto Mayra levou apenas uma.

A segunda medalha do dia foi da ginástica. A paulista Rebeca Andrade, de 22 anos, entrou para a história da ginástica artística do Brasil ao conquistar a prata no individual nos Jogos de Tóquio, a primeira medalha olímpica feminina do país na modalidade. Rebeca somou ao final dos quatro aparelhos 57.298 pontos, ficando atrás somente da norte-americana Sunisa Lee (57.433) e à frente de Angelina Melnikova, da Rússia que totalizou 57.199. A brasileira ainda tem chances reais de conquistar mais medalhas nas disputas de salto e solo a partir de domingo, quando ocorre as finais destes aparelhos.

Rebeca brilhou no salto, primeiro dos quatro aparelhos, com nota 15.300, a mais alta entre todas as competidoras. Na sequência, nas assimétricas, Rebeca cravou outra nota alta: 14.666. Depois, na trave, a ginasta conseguiu 13.566, mas a comissão técnica entrou imediatamente com recurso, que foi aceito e a nota revisada para 13.666. Antes da apresentação no solo, Rebeca estava na terceira posição geral. No último aparelho, a brasileira cometeu dois pequenos erros (pisou fora do tablado) e obteve 13.666, o que fez ela entrar na história e conquistar a inédita medalha para a ginástica feminina do Brasil.

TOTAL DE MEDALHAS

#

PAÍS

T

O

P

B

1

EUA

38

14

14

10

2

CHN

31

15

7

9

3

EUA

28

8

11

9

4

JAP

25

15

4

6

5

AUS

20

8

2

10

6

ITA

19

2

7

10

7

GBR

18

5

7

6

8

ALE

13

3

3

7

8

HOL

13

2

7

4

10

COR

12

4

3

5

11

FRA

11

3

5

3

12

CAN

10

2

3

5

13

BRA

7

1

3

3

14

SUI

6

1

3

2

14

TAI

6

1

2

3

OURO – PRATA - BRONZE

#

PAÍS

O

P

B

T

1

CHN

15

7

9

31

2

JAP

15

4

6

25

3

EUA

14

14

10

38

4

RUS

8

11

9

28

5

AUS

8

2

10

20

6

GBR

5

7

6

18

7

COR

4

3

5

12

8

FRA

3

5

3

11

9

ALE

3

3

7

13

10

ITA

2

7

10

19

11

HOL

2

7

4

13

12

CAN

2

3

5

10

13

HUN

2

1

2

5

14

ESL

2

1

1

4

17

BRA

1

3

3

7


Foto: COB – Jonne Roriz