Em pouco mais de 30min, Brasil conquista duas medalhas e chega a 12 no total - Esporte Jundiaí Em pouco mais de 30min, Brasil conquista duas medalhas e chega a 12 no total

No período mais de 30 minutos (34 minutos mais exatamente), entre 0h22 e 0h56 do horário de Brasília desta terça-feira, o brasileiro se sentiu um americano ao comemorar duas medalhas conquistadas por atletas do país, que fizeram o Brasil chegar a 12 no total. Foi uma medalha dourada na vela e uma bronzeada no atletismo.

Agora são três ouros, três pratas e seis bronzes. Até 3h da manhã, o Brasil ocupava o 16º lugar no quadro geral de medalhas na ordem ouro – prata – bronze. No total de medalhas, o Brasil está em 15º.

Pouco depois das 0h20, Alisson dos Santos foi medalha de bronze na prova dos 400m com barreiras. Ele fechou a prova com tempo de 46seg72, que seria recorde olímpico e ficaria a 2 centésimos do recorde mundial, se não fosse o espetacular desempenho dos outros dois medalhistas na prova: o ouro ficou com o norueguês Karsten Warholm, que quebrou o recorde mundial fechando a prova, pela primeira na história, em menos de 46 segundos: 45seg94. O estado-unidense Rai Benjamin ficou com a prata com a marca de 46s17.

Martine Grael e Kahena Kunze depois conquistaram o bicampeonato olímpico após a disputa da regata da medalha na categoria 49FX da vela. Na última regata, as brasileiras chegaram em 3º lugar, ficando na frente das neerlandesas Annemiek Bekkering e Anette Duetz, e das alemãs Tina Lutz e Susann Beucke, que também brigavam pelo título.

Martine e Kahena foram medalha de ouro no Rio-2016 e assim entraram numa seleta lista de atletas brasileiros campeões olímpicos em duas edições consecutivas. Elas se juntam a outras sete atletas: Adhemar Ferreira da Silva, ouro no salto triplo em 1952 e 1956 e seis jogadores do vôlei feminino campeãs em 2008 e 2012 - Fabi, Thaísa, Sheila, Fabiana, Paula Pequeno e Jaqueline.

A conquista de Marine Kahena foi o terceiro ouro do Brasil nas Olimpíadas de Tóquio. Ítalo Ferreira, no surfe, e Rebeca Andrade, na ginástica, conquistaram os outros.

O Brasil tem 12 medalhas, mas ainda tem boas chances de sair com medalhas no futebol masculino e vôlei de quadra masculino que estão nas semifinais. O boxe masculino já garantiu duas medalhas também com Abner Teixeira e Hebert Conceição, mas ainda de cor não definidas – se os atletas vencerem a semifinal garantem no mínimo a prata, se perderem já serão bronze.

O país ainda tem representantes nas quartas de final do boxe feminino (Beatriz Ferreira), do boxe masculino (Wanderson Ferreira), vôlei de quadra feminino e vôlei de praia masculino e com chances de conquistarem medalhas.