Gêmeas Beatriz e Sofia Menga crescem no golfe e enxergam benefícios no esporte - Esporte Jundiaí Gêmeas Beatriz e Sofia Menga crescem no golfe e enxergam benefícios no esporte

O sobrenome Menga está diretamente associado ao esporte, sobretudo em Jundiaí. Depois dos anos vitoriosos da ex-tenista Vanessa Menga, campeã em duplas com Joana Cortez dos Jogos Pan-Americanos de Winnipeg (Canadá) em 1999, e duas participações olímpicas nos Jogos de Atlanta (1996) e Sidney (2000), além de tantos outros troféus, agora é a vez de suas irmãs gêmeas bem mais novas, Beatriz e Sofia, frutos da união do empresário Eduardo Menga com a atriz Bianca Rinaldi (ex-Paquita e diversas novelas das principais emissoras brasileiras) se destacarem no cenário esportivo. As gêmeas esão demonstrando muito potencial num esporte diferente, apesar de olímpico, considerado por muitos elitista, mas que traz inúmeras vantagens para quem os pratica: o golfe. 

Dados divulgados pela Confederação Brasileira de Golfe apontam que dos 25 mil golfistas brasileiros, entre 15 a 20% são mulheres, números que vem aumentando gradativamente e as jovens Beatriz e Sofia, com apenas 12 anos, disputam os principais torneios da categoria de 11 a 12 anos. Neste final de semana (21 e 22), elas participam da primeira etapa do Brasil Kids Golf, no Fazenda Sertão (18 buracos ‘hole’) com outras jovens golfistas da mesma idade. Essa competição prossegue durante três meses (setembro e novembro).  


Rotina de treinos

Focadas no objetivo de alcançarem os melhores resultados, as gêmeas se esforçam nas tacadas durante os treinos, quatro vezes por semana, no Driving Range, área própria para os treinamentos dentro do imenso campo de muito aclive e natureza exuberante do Portal Japy Golf Club, em Cabreúva.

“Elas começaram muito pequenas a se interessar pelo golfe, pois morávamos em frente ao Itanhangá Golf Club no Rio de Janeiro. Eu voltei a jogar convidado por um amigo e como elas iam comigo. Num determinado evento para crianças, elas tiveram contato e não pararam mais”, relembra o pai. Sofia não esconde que adora jogar golfe por estar em contato com a natureza.  “É gostoso jogar um esporte no meio do ar livre, natureza, e para mim apesar dos torneios e da nossa vontade de vencer, é quase uma terapia estar praticando golfe”, diz Sofia.  Ela diz que será necessário concentração, mesmo que haja alguns erros em alguns buracos, o fundamental é sempre acreditar.

Já sua irmã, Beatriz, que recentemente ganhou o Rio Kids (2019), chegou na quarta colocação numa das etapas do Brasileiro, adianta que no golfe assim como no tênis é necessário a participação em torneios para adquirir o status (espécie de ranking) para jogar os torneios internacionais. Ela diz ter um pouco de ansiedade e esse esporte vem ajudando a ficar mais calma.  “Para ir bem nos jogos e as pessoas te notarem é preciso ter status, que é um número que dá oportunidade para jogarmos os torneios e crescermos para futuramente disputar os do exterior como o Sul-Americano, o Mundial”, aponta ela.

Com apenas 12 anos, Beatriz e Sofia recebem o incentivo dos pais e do técnico (o próprio Eduardo) que comanda os treinamentos e correções de movimentos das meninas durante a semana no campo de golfe da região, em Cabreúva. As duas mostram evolução nos torneios que participam e mesmo com o ‘paitrocínio’ por enquanto, estão representando Jundiaí e o Estado de SP nas competições e elevando ainda mais o nome da família Menga no meio dos esportes.


Texto de João Carlos Coutinho