Grosso marca gol da medalha de ouro do Canadá na final olímpica do futebol feminino - Esporte Jundiaí Grosso marca gol da medalha de ouro do Canadá na final olímpica do futebol feminino

Com uma vitória sobre a Suécia por 3 a 2 nos pênaltis – que foi um show de erros dos cobradores, após 1 a 1 na parte regulamentar e prorrogação do jogo, o Canadá conquistou pela primeira vez na sua história o ouro no futebol feminino dos Jogos Olímpico. O gol da medalha de ouro na decisão por pênaltis foi anotada por uma jogadora cujo o nome no Brasil seria motivo de “zoeira pela ruindade”: Grosso.

Julia Grosso, de 20 anos, – e que não tem nenhum parentesco com Fábio Grosso, autor do gol do título na cobrança de pênalti italiana sobre os franceses na Copa do Mundo de 2006, entra para a história do pênalti mais importante de toda a história do futebol canadense.

No tempo normal da decisão de Tóquio, empate em 1 a 1 após Blackstenius abrir placar para as suecas aos 34 do primeiro tempo e Fleming, em penalidade máxima, igualar aos 21 da etapa complementar. A prorrogação não teve gols e por isso a definição foi para as penalidades, onde as canadenses levaram a melhor.

Nas penalidades, das 12 cobranças, apenas cinco foram convertidas, aproveitamento de 41,67% dos pênaltis foram gol na disputa de penalidade. Na série de 5, os dois times somados somente converteram 4 de 10. Pelo Canadá, Schough Leon e Lawrence tiveram suas cobranças defendidas pela goleira rival enquanto Gilles mandou no travessão; sendo que converteram Fleming, Rose e Grosso. Pela Suécia, Aslanni acertou a trave, Anvegard e Anderson tiveram suas cobranças defendidas pela arqueira rival e Seger mandou seu chute direto para fora; enquanto Bjorn e Schough converteram.

O bronze ficou com os Estados Unidos. As estadodunidenses venceram a Austrália por 4 a 3, na última quinta-feira. O Brasil foi eliminado nas quartas de final, justamente para as canadenses, também nos pênaltis.


Foto: Divulgação