Jundiaí terá três representantes na Paralimpíada de Tóquio - Esporte Jundiaí Jundiaí terá três representantes na Paralimpíada de Tóquio

O jundiaiense terá motivos a mais para torcer e ficar de olho na TV nos Jogos Paralímpicos de Tóquio, que serão realizados entre 24 de agosto e 5 de setembro de 2021. Isto porque Jundiaí entra em cena novamente para defender o esporte nacional. Dentre os 253 integrantes da delegação brasileira que irão até o Japão, três dos convocados são representantes de Jundiaí: Joyce Fernanda de Oliveira, do tênis de mesa; Thomaz Ruan de Moraes, do atletismo e Alessandro Tosim, técnico da seleção brasileira masculina de goalball. O trio embarcou na madrugada desta quinta-feira (5) para Tóquio.

“É um orgulho muito grande para todos nós de Jundiaí ter a Joyce, o Thomaz e o professor Alessandro Tosim representando o Brasil e nossa cidade em Tóquio. Jundiaí tem tradição no esporte e eles estão seguindo essa escrita, nos inspirando. Vamos ter que dormir mais tarde para torcer por eles três. Desejo boa viagem e boa sorte a todos”, destaca o prefeito de Jundiaí Luiz Fernando Machado, que ressaltou o trabalho desenvolvido pelo Programa de Esportes e Atividades Motoras Adaptadas (Peama), da Prefeitura de Jundiaí.

“O Thomaz iniciou sua trajetória cedo no Peama e virou um talento do esporte brasileiro revelado pela cidade. O professor Tosim faz um lindo trabalho aqui na cidade e o que ele construiu no Goalball desde 2009 é exemplar. O Peama é um trabalho com história consistente, sério, transformador e que já virou referência para outras cidades e me alegro em ver profissionais capacitados saindo daqui para levar o esporte do Brasil a um patamar mais alto”, completa.

O gestor de Esporte e Lazer, Luís Claudio Tarallo, sabe bem o que o trio está sentindo. Ele defendeu o Brasil em uma Olimpíada – Tarallo foi o técnico da seleção de basquete feminino nos Jogos Olímpicos de Londres 2012.

“Desejo muita sorte para todos. O fato deles chegarem a um evento do tamanho de uma Paralimpíada é motivo de muito orgulho não só para Jundiaí, como para todo o Brasil. Isso é fruto de muita dedicação, treinamento e estudo e agora é o momento deles desfrutarem de tudo que eles realizaram e fizeram para chegar em um momento tão grandioso como esse. Estarei na torcida aqui por todos”, completa.


Thomaz Ruan

Bicampeão mundial de jovens (em 2017 e 2019), Thomaz Ruan de Moraes começou bem cedo no Peama. Ele, que tem uma má formação congênita no braço direito, começou a participar do programa há 11 anos e é um dos talentos do esporte paraolímpico brasileiro. Ele vai disputar em Tóquio a prova dos 4400m rasosT47 no atletismo.

“A minha expectativa para Tóquio é a melhor possível. Estou ansioso, mas estou me sentindo bem, porque fizemos uma grande preparação e estou confiante que a medalha pode vir”, afirmou.

Thomaz treina em São Paulo, mas não esquece suas raízes em Jundiaí. “Quero trazer uma medalha para Jundiaí e para o Peama, que me revelou e me deu apoio no começo. O Peama tem grande importância na minha vida. Através dele me vi dentro da sociedade. O Peama acreditou em mim, me deu base e estrutura para eu ser quem eu sou agora. Eu amo muito eles, sou grato por tudo que fizeram por mim. Fico feliz em fazer parte dessa história”, explica.


Alessandro Tosim

Comandada pelo professor Alessandro Tosim desde 2009, a seleção brasileira de goalball masculino chega a Tóquio para brigar por medalha. No currículo, Tosim, que parte para seu terceiro Jogos, coleciona duas medalhas paralímpicas: prata em Londres 2012 e bronze na Rio 2016, além de levar o Brasil ao tricampeonato dos Jogos Parapan-Americanos e ao bicampeonato mundial.

“A gente vai brigar pela medalha e vamos trabalhar para buscar o inédito ouro. A Paralimpíada é a competição que todo mundo quer disputar e estou muito feliz em ir para minha terceira Paralimpíada com este grupo”, explica.

Tosim agradeceu a torcida de Jundiaí que adotou o Goalball desde que ele começou a treinar a equipe. “Sou muito grato ao Peama que é referência em todo o Brasil e representar este programa e a cidade de Jundiaí me enche de orgulho. Gosto do esporte e de trabalhar com pessoas com deficiência e juntar estas duas paixões é muito legal. A minha ida para Tóquio é resultado de dedicação, estudo e muito trabalho”, explica.

Em Tóquio, a equipe de Tosim terá pela frente a Lituânia, medalhista de ouro na Rio 2016, os Estados Unidos, que foram prata na última edição dos Jogos, o anfitrião Japão além da campeã africana, a Argélia. A estreia será no dia 24 contra a Lituânia. No outro grupo, estão: Alemanha (campeã europeia e vice mundial), Bélgica, China (campeã asiática), Turquia e Ucrânia. Na preparação da equipe para Tóquio, a seleção contou com a ajuda de uma jundiaiense: a psicóloga Alessandra Amorim.


Joyce Oliveira

Paratleta do tênis de mesa, Joyce Fernanda de Oliveira é destaque no Brasil há muitos anos e já virou referência na modalidade. Ela tem no currículo duas Paralimpíadas – de Londres em 2002 e do Rio em 2016 e parte para sua terceira referenciada por grandes conquistas.

Nos últimos Jogos Parapan-Americanos de Lima 2019 – Joyce conquistou duas medalhas de ouro na competição, uma por equipes e uma individual. Em 2019, foi homenageada pela Câmara de Jundiaí por conta destas medalhas.

“A preparação não foi fácil. É um momento difícil para todos por causa da pandemia, treinei do jeito que deu e em alguns momentos deu uma parada nos treinamentos. Mas vou lá para Tóquio para dar meu melhor. O objetivo de todo atleta é buscar uma medalha, sei que vou enfrentar adversárias difíceis. A Paralimpíada reúne os melhores, mas se eu estou indo lá eu sou uma delas”, explicou Joyce.

As competições do tênis de mesa começam no dia 25 de agosto e ela vai disputar os Jogos no individual classe 4. “Para mim é um orgulho representar meu país. Vou lá dar meu melhor”, completa.


Fotos: Prefeitura de Jundiaí