Jundiaí termina na frente da Portugal no quadro de medalhas da Paralimpíada - Esporte Jundiaí Jundiaí termina na frente da Portugal no quadro de medalhas da Paralimpíada

Se Jundiaí fosse um país teria terminando na frente da Portugal nos Jogos Paralímpicos de Tóquio, em 2020. Sim, a medalha de prata de Thomaz Ruan de Moraes, nascido da cidade, faria Jundiaí, se fosse um país terminar na frente dos portugueses no quadro de medalhas. Isto porque, Portugal em toda Paralimpíada de Tóquio somente conquistou dois bronzes.

A medalha de prata de Thomaz Ruan faria Jundiaí terminar empatado com o Vietnã na 75ª colocação com uma prata. Portugal foi o 77º com dois bronzes.  Jundiaí se fosse um país na Paralimpíada de Tóquio ficaria na frente de países como Catar (1 bronze), Arábia Saúdita (1 bronze), Bósnia e Herzegovina (1 bronze), Quênia (1 bronze) e Lituânia (3 bronzes).

A medalha do jundiaiense Thomaz Ruan de Moraes ajudou o Brasil a fechar a edição de Tóquio com 72 medalhas conquistadas, sendo 22 de ouro, 20 de prata e 30 de bronze, terminando na 7ª colocação no quadro geral dos Jogos da edição relativa a 2020.