Morre ex-presidente do conselho do Paulista, Cláudio Levada - Esporte Jundiaí Morre ex-presidente do conselho do Paulista, Cláudio Levada

Morreu nesta segunda-feira (6/9), aos 63 anos, o ex-presidente do conselho deliberativo do Paulista e também desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo Cláudio Soares Levada. Ele integrava o órgão especial e a 34ª Câmara de Direito Privado da corte paulista, além do Conselho da Associação Paulista de Magistrados (Apamagis). Segundo a família, ele estava em Cananéia (SP), no litoral sul, onde sofreu um infarto. Ainda não há informações sobre velório e enterro.

No esporte, Cláudio Levada foi presidente do conselho deliberativo do Paulista em 2010, quando Djair Bocanella assumiu o cargo de presidente do clube. Levada ficou no cargo até o ano passado, quando foi substituído por Marcelo Cecatto. Levada também participava de um programa na TV Japi, ao lado de Douglas Mondo.

Cláudio Levada é irmão do ex-presidente do Paulista, Rogério Levada que comandou o clube entre 2019 e 2020.  No Galo, nos últimos anos, Cláudio Levada tentou articular a vinda do Red Bull Brasil a jogar em Jundiaí, no Jayme Cintra, o que acabou sendo frustrada por conta do Oeste de Barueri, não ter aceitado ter sido comprado pela empresa austríaca. Também participou diretamente da vinda da Kah Sports, para formar uma parceria no clube e ajudar na montagem do time campeão da Série B1 do Paulistão de 2019.


Luto no mundo jurídico

O Tribunal de Justiça de São Paulo decretou luto oficial de três dias por causa da morte de Levada. Natural de Jundiaí, Cláudio Antonio Soares Levada nasceu em 1958 e formou-se em Direito pela USP, na turma de 1980. Ingressou na magistratura em 1983, nomeado juiz substituto para a 8ª Circunscrição Judiciária, com sede em Campinas. Ele também passou pelas comarcas de Jundiaí, Jacupiranga, Jales e Barueri. Foi removido para o cargo de juiz substituto em segundo grau em 1997 e em 2005 tornou-se desembargador da corte.

Em março do ano passado, Soares Levada foi eleito por seus pares para integrar o Órgão Especial do TJ-SP. Ele também atuava como coordenador da Faculdade de Direito do Centro Universitário Padre Anchieta, de sua cidade natal.