TJD define que jogo Osvaldo Cruz e Santacruzense seja remarcado pela ‘Bezinha’ - Esporte Jundiaí TJD define que jogo Osvaldo Cruz e Santacruzense seja remarcado pela ‘Bezinha’

O Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo definiu nesta sexta-feira, em julgamento extraordinário, que a partida Osvaldo Cruz e Santacruzense, em Osvaldo Cruz, pela 4ª rodada da Série B1 do Paulistão, que deveria ter ocorrido na quarta-feira passada, mas não chegou a ser disputado, seja remarcado, por parte da Federação Paulista de Futebol, para uma nova data. A decisão foi tomada de forma unânime pelos auditores da 3ª comissão disciplinar.

“Por unanimidade absolveram o Osvaldo Cruz Futebol Clube das infrações aos artigos 203 (deixar de disputar, sem justa causa, partida, prova ou o equivalente na respectiva modalidade, ou dar causa à sua não realização ou à sua suspensão) e 191 - item III (deixar de cumprir, ou dificultar o cumprimento de regulamento, geral ou especial, de competição) do CBJD em acordo artigo 27 do regulamento Geral de Competições. Ademais, determinaram que seja oficiada a Federação Paulista de Futebol para que o Departamento de Competições realize a remarcação da partida”, foi a determinação do TJD.

O jogo Osvaldo Cruz e Santacruzense não ocorreu, segundo relato escrito pelo árbitro Douglas Marques das Flores, por conta da falta de policiamento no estádio Breno Ribeiro do Val, em Osvaldo Cruz, a partida não foi realizada.

“Informo que o policiamento não compareceu ao estádio para a realização da partida. Quando ainda aguardávamos fui informado as 15h40 pelo delegado da partida, senhor: Ronnie Perscilio Simões, que o policiamento chegaria às 15h50, sendo assim aguardamos até o horário informado e posteriormente devido a não chegada do policiamento a partida não foi realizada”, informou o árbitro na súmula da partida.

 

Barcelona x Paulista

Enquanto isso, o TJD ainda não marcou a data do julgamento da partida não realizada entre Barcelona e Paulista, pela 3ª rodada da Série B1, a ‘Bezinha’, que ocorreria no último domingo. O jogo não ocorreu por falta de ambulância segundo relato do árbitro do jogo, Daniel Carfora Sottille.

“Informo a vossa senhoria que a partida entre as equipes não foi realizada pela falta de ambulância conforme decorreremos: esclareço que as equipes estavam posicionadas para o início da partida, quando fomos informados pela delegada Sthefania Vieira de Lacerda, que as ambulâncias tipo D e tipo B não haviam chegado para iniciarmos o jogo”. Ele continuou ainda: “Ademais, dentro desse período citado a primeira ambulância tipo B chegou no estádio, as 10h26 minutos, porém a ambulância continha somente um médico, um enfermeiro e um motorista. Desta forma, a primeira ambulância faltava um enfermeiro (art 33, paragrafo 4° na linha"A"). Somando a isso, a segunda ambulância tipo B não estava pelas dependência (sic) do estádio. Consequentemente, às 10h45 minutos, eu informei as equipes que a partida não ocorreria pela falta dos itens estipulados no regulamento. Quando a equipe de arbitragem estava deixando o campo de jogo, visualizamos a chegada de uma segunda ambulância as 10h50 minutos, porém a tripulação não estava credenciada segundo informação da delegada da partida”, informou.