TJD já teve posturas distintas sobre jogo não realizado por falta de ambulância - Esporte Jundiaí TJD já teve posturas distintas sobre jogo não realizado por falta de ambulância

Em 2019, o Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo teve posturas completamente diferentes sobre um mesmo caso: a não realização de uma partida por falta de ambulância. O jogo da 1ª rodada do Paulistão sub-15 entre União Mogi e São José não ocorreu por falta de ambulância. O caso teve um resultado em uma das comissões do órgão e outro completamente diferente no chamado pleno, que é a instância máxima do tribunal no âmbito estadual. Em pesquisa no site do TJD, este é o último jogo que se tem notícia no futebol paulista que não ocorreu por falta de ambulância.

Esse caso de “incoerência” do TJD sobre um mesmo caso, o alerta que o Paulista deve ligar para o julgamento desta segunda-feira, quando o Barcelona será julgado e punido pela não realização da partida contra o Galo por conta da falta de ambulância no estádio Nicolau Alayon, em 29 de agosto pela terceira rodada da ‘Bezinha’.

Em 2019, no dia 6 de abril, em Mogi das Cruzes, o jogo do Paulistão sub-15 entre União Mogi e São José não ocorreu por falta de ambulância. A arbitragem na época esperou 40 minutos, antes de definir que a partida não ocorreria.

Em 15 de abril, uma das comissões disciplinares da entidade julgou o caso e absolveram o União Mogi da não realização do jogo e mandaram a Federação remarcar a partida. O time de Mogi teria que arcar com todas as despesas do São José, como despesas de viagem e refeições, além de novas despesas de arbitragem e outras taxas.

Só que o São José não concordou com a decisão e recorreu no Pleno. Em 27 de maio, o pleno, presidido na época por Antônio Olim, julgou o caso e tomaram decisão totalmente diferente do que uma das comissões disciplinares. E de forma unânime, resolveram aplicar a perda de pontos ao União Mogi, e assim o São José foi considerado vencedor da partida por 3 a 0. O União Mogi ainda foi multado em R$ 200.

O jogo Barcelona x Paulista será julgado nesta segunda-feira, após três semanas após a sua não realização – algo demorando, considerando o tempo curto que tem a primeira fase. O julgamento pode “beneficiar” o Paulista, que era o time visitante no jogo e não teve nenhuma responsabilidade na não realização da partida.

O Barcelona será o time a ser julgado na 1ª comissão disciplinar do TJD e está incluso no artigo 203 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva – “Deixar de disputar, sem justa causa, partida na respectiva modalidade, ou dar causa à sua não realização ou à sua suspensão”. Caso seja considerado culpado pela não realização do jogo o Barcelona pode sofrer multa de R$ 100 até R$ 100mil e perda dos pontos em disputa a favor do adversário, na forma do regulamento – neste caso o Paulista seria considerado ganhador do jogo pelo placar de 3 a 0, conforme dita o regulamento geral das competições. Pela pauta do dia, será o segundo item a ser julgado.